Sobre a Revista

Foco e Escopo

ISSN 2359-232X

A Revista Brasileira de Iniciação Científica é uma publicação da Coordenadoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação do IFSP campus Itapetininga e do Grupo de Pesquisas Formação de Professores para o Ensino básico, técnico, tecnológico e superior (FoPeTec), que tem por objetivo promover a divulgação da produção acadêmica de alunos envolvidos em Progamas de Iniciação Científica.

A Revista tem como público-alvo alunos participantes de Programas de Iniciação Científica de instituições de ensino.

Mas também aceita trabalhos feitos por alunos de ensino técnico e de graduação, desde que orientados por professor

 
A Revista Brasileira de Iniciação Científica (RBIC) passará a adotar a partir de 2021 a PUBLICAÇÃO CONTÍNUA. Esta questão já vinha sendo analisada há algum tempo pelos editores, no sentido de agilizar a publicação dos artigos aprovados. Esperamos, que juntamente com outras medidas possamos elevar a nossa classificação perante o Qualis.

A publicação em fluxo contínuo é um tendência em revistas digitais e visa dar maior agilidade ao processo de publicação e difusão dos artigos aprovados.

Com a aplicação do fluxo contínuo, a edição do ano corrente permanecerá aberta (In progress) e, à medida que os artigos forem aprovados e aceitos pelos parecerista, serão inseridos na edição. Não há fascículos, nem periodicidade, publicaremos os artigos aprovados em uma edição anual. 

Com isso, o fluxo de artigos será acelerado, aumentando o tempo de exposição do material, o que dará maior visibilidade a revista e aos trabalhos publicados por meio de citações

 
 

Políticas de Seção

Artigos

Política padrão de seção

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

EDITORIAL

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares

RESENHAS

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares
 

 

Processo de Avaliação pelos Pares

A Revista tem como público-alvo alunos participantes de Programas de Iniciação Científica de instituições de ensino.

Mas também aceita trabalhos feitos por alunos de ensino técnico e de graduação, desde que orientados por professor

A Revista Brasileira de Iniciação Científica (RBIC) passará a adotar a partir de 2021 a PUBLICAÇÃO CONTÍNUA. Esta questão já vinha sendo analisada há algum tempo pelos editores, no sentido de agilizar a publicação dos artigos aprovados. Esperamos, que juntamente com outras medidas possamos elevar a nossa classificação perante o Qualis.

A publicação em fluxo contínuo é um tendência em revistas digitais e visa dar maior agilidade ao processo de publicação e difusão dos artigos aprovados.

Com a aplicação do fluxo contínuo, a edição do ano corrente permanecerá aberta (In progress) e, à medida que os artigos forem aprovados e aceitos pelos parecerista, serão inseridos na edição. Não há fascículos, nem periodicidade, publicaremos os artigos aprovados em uma edição anual. 

Com isso, o fluxo de artigos será acelerado, aumentando o tempo de exposição do material, o que dará maior visibilidade a revista e aos trabalhos publicados por meio de citações

Todos os artigos após submissão são, inicialmente, avaliados quanto ao enquadramento ao escopo da RBIC, o cadastro completo dos autores, as normas e diretrizes informados nas diretrizes aos autores e pela verificação de plágio. Caso não correspondam às diretrizes para submissão, os manuscritos são devolvidos, indicando-se as solicitações requeridas. Essa triagem é realizada pelos editores do periódico. Nosso prazo médio para esta tarefa é de 15 dias, dependendo do fluxo de artigos submetidos à RBIC.

Depois de ingressar no processo de avaliação, os artigos são avaliados em duas etapas de avaliação. A primeira por membros do Conselho Consultivo Nacional e a segunda por membros do Conselho Científico Nacional, especialistas na temática do artigo. Na primeira, são avaliados os seguintes itens: adequação ao formato; normas ABNT; figuras, imagens, quadros e respectivas fontes; apresentação do manuscrito no template do periódico; resumos em inglês, espanhol e português; números de páginas; triagem preliminar quanto a cientificidade, clareza, inovação e ineditismo. Para esta segunda etapa o tempo médio é de 1 mês.

Na segunda etapa de avaliação, o artigo é distribuído aos membros do Conselho Científico Nacional ou Internacional, respeitando a adequação entre o tema tratado e a área de conhecimento do especialista. Todos os textos são submetidos à avaliação de, no mínimo, dois pareceristas em um processo cego, sob os seguintes critérios: adequação do título ao conteúdo; estrutura interna do artigo; clareza e pertinência dos objetivos; metodologia consistente que suporte as análises propostas; resultados e discussão que tragam contribuição científica – abordagem inovadora, visão crítica, reflexiva ou criativa, oferecendo avanço para o conhecimento –; citações e referências adequadas às normas técnicas adotadas pela revista; e pertinência à linha editorial da publicação.

Os pareceristas preenchem formulário padrão com opções já determinadas, no qual existe um campo aberto para a justificativa da decisão final aceitando, recusando ou recomendando correções e/ou adequações necessárias aos artigos. Esse processo de avaliação inicial dura, em média, 3 meses.

No caso de divergência entre os avaliadores sobre a pertinência ou não da publicação, o artigo é enviado a um terceiro parecerista e o resultado é submetido à Equipe Editorial para julgamento final.

O processo de avaliação pode ter várias rodadas de avaliação, conforme as avaliações dos pareceristas e correções realizadas pelos autores.

Os artigos que forem para a segunda etapa podem ser:

  • Rejeitados. A rejeição sugerida pelos avaliadores será baseada na análise do conteúdo, com foco na metodologia e na validade dos dados, devendo também considerar a originalidade. 
  •  Aceitos para publicação. Quando existem apenas pequenas correções que não precisem de outras rodadas de avaliação.
  • Aceitos com modificações. Os artigos aprovados com modificações serão reencaminhados aos autores com as considerações dos revisores. Após as correções, o autor reenvia o artigo à revista para verificação do editor e dos revisores, caso estes últimos assim determinarem. 

Alterações ortográficas e gramaticais na língua do artigo, bem como resumos e títulos em língua inglesa e espanhola serão de responsabilidade do(s) autor(es). Não são admitidos acréscimos ou modificações após aprovação da revisão final. Os artigos aprovados ficam então disponíveis para publicação em ordem de sequência.

 

 

Qualis/CAPES

Qualis/CAPES (Avaliação Preliminar)/Evaluation (2017-2018)) A4 em Educação

 

Diretrizes para submissão

Entende-se como autor todo aquele que tenha efetivamente participado da concepção do estudo, do desenvolvimento, análise e interpretação dos dados e da redação final.

O número total de autores é quatro, incluindo o professor/orientador. 

Idiomas: os artigos poderão ser redigidos em português, espanhol ou inglês. 
 
Todos os autores do artigo devem ser identificados no ato da submissão. Em NENHUMA hipótese serão acrescentados nomes após o início da avaliação. A inclusão ou exclusão de autores depois da primeira submissão é motivo para rejeição e arquivamento do artigo .
 
Será respeitado o prazo de 12 meses  para que seja publicado outro artigo do mesmo autor.  

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento. 

A RIBC não cobra taxas e não há cobrança de custos de processamento de artigos e envio de artigos (taxas de processamento de artigos (APCs) / cobranças de envio de artigos). 

 

 

Boas práticas na publicação científica / Código de Ética - Good practice in scientific publication/Code of Ethics - COPE Core practices

Os editores e membros dos conselhos editorial e consultivo desta Revista endossam o Código de Boas Práticas Científicas publicado pela FAPESP, em 2014.

 

ÉTICA EM PESQUISA COM SERES HUMANOS

O artigo respeita a ÉTICA EM PESQUISA COM SERES HUMANOS, confome a resolução CNS 07/2016 http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf

De acordo com a Resolução nº 466/12 e a Resolução n. 510/16, “toda pesquisa envolvendo seres humanos deve ser submetida à apreciação de um Comitê de Ética em Pesquisa (CEP)”, de forma que, caso receba sua aprovação, possa ser iniciada em seguida a coleta de dados, conforme prevê a resolução. 

A aprovação em comitê específico (Comitê de Ética em Pesquisa - CEP) sobre a qual o artigo se refere é de inteira responsabilidade dos autores.

É obrigatório indicar na metodologia as informações sobre a aprovação no CEP. 

 

RESOLUÇÃO Nº 510, 07 de abril de 2016 do Conselho Nacional de Saúde

Art. 1 o Esta Resolução dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais cujos procedimentos metodológicos envolvam a utilização de dados diretamente obtidos com os participantes ou de informações identificáveis ou que possam acarretar riscos maiores do que os existentes na vida cotidiana, na forma definida nesta Resolução. Parágrafo único.

Não serão registradas nem avaliadas pelo sistema CEP/CONEP:

I – pesquisa de opinião pública com participantes não identificados;

II – pesquisa que utilize informações de acesso público, nos termos da Lei no 12.527, de 18 de novembro de 2011;

 III – pesquisa que utilize informações de domínio público;

 IV - pesquisa censitária;

V - pesquisa com bancos de dados, cujas informações são agregadas, sem possibilidade de identificação individual;

VI - pesquisa realizada exclusivamente com textos científicos para revisão da literatura científica;

VII - pesquisa que objetiva o aprofundamento teórico de situações que emergem espontânea e contingencialmente na prática profissional, desde que não revelem dados que possam identificar o sujeito;

VIII – atividade realizada com o intuito exclusivamente de educação, ensino ou treinamento sem finalidade de pesquisa científica, de alunos de graduação, de curso técnico, ou de profissionais em especialização.

  • 1 Não se enquadram no inciso antecedente os Trabalhos de Conclusão de Curso, monografias e similares, devendo-se, nestes casos, apresentar o protocolo de pesquisa ao sistema CEP/CONEP;
  • 2 Caso, durante o planejamento ou a execução da atividade de educação, ensino ou treinamento surja a intenção de incorporação dos resultados dessas atividades em um projeto de pesquisa, dever-se-á, de forma obrigatória, apresentar o protocolo de pesquisa ao sistema CEP/CONEP.

 

 

Política anti-plágio

Todos os artigos submetidos a este periódico passam por procedimentos de investigação de plágio, antes de serem encaminhados para avaliação dos pareceristas.

A revista utiliza o programa CopySpider.

A Revista Internacional de Pesquisa em Didática das Ciências e Matemática (RevIn) repudia qualquer forma de plágio, sendo responsabilidade do autor garantir a originalidade de seu trabalho. Quando detectado possível plágio o artigo é arquivado.