A competência emocional como critério essencial na formação docente

Autores

  • Eliana Pinheiro UESB
  • Tânia Cristina Rocha Silva Gusmão UESB
  • Márcia Azevedo Campos UESB
  • Patrícia Martins de Freitas UFBA

Palavras-chave:

Competência emocional, Inteligência Emocional, Formação de professores, Aprendizagem

Resumo

O artigo pretende apresentar um levantamento bibliográfico das pesquisas que investigam a competência emocional como uma habilidade do docente e sua influência na gestão da sala de aula, na aprendizagem e na formação do aluno, no período de vinte anos (2000-2020). Para isso, contemplaram-se estudos do Brasil, Portugal e Espanha. Os resultados apontam a competência emocional como uma necessidade de todo profissional de educação; a insegurança dos professores no ambiente escolar e o desejo de trabalhar o autoconhecimento, bem como a necessidade de inserir essa competência na formação inicial e continuada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliana Pinheiro, UESB

Mestre em Ensino, integrante do Grupo de Pesquisa GDICEM” (UESB). Professora na Secretaria de Educação da Bahia. CV: http://lattes.cnpq.br/720454297680328, Orcid: https://orcid.org/0000-0001-6807-1970

Tânia Cristina Rocha Silva Gusmão, UESB

Doutora em Didática da Matemática pela Universidade de Santiago de Compostela (USC). Professora Pleno – DCET/UESB, dos Programas de Pós-Graduação em Ensino – PPGEn/UESB e de Educação Científica e Formação de Professores – PPG-ECFP/UESB, Líder do Grupo de Pesquisa GDICEM, Bolsista Produtividade em Pesquisa CNPq-PQ-2. CV: http://lattes.cnpq.br/4475063425193939,

Orcid: https://orcid.org/0000-0001-6253-0435

Márcia Azevedo Campos, UESB

Doutora em Ensino Filosofia e História das Ciências – PPGEFHC/UFBA/UEFS, Analista Universitária - UESB, Professora FAINOR e Colaboradora do PPG-EFHC/UESB. Vice-líder do Grupo de Pesquisa GDICEM/UESB. CV: http://lattes.cnpq.br/7705322873418025, Orcid: https://orcid.org/0000-0001-8255-758X

Patrícia Martins de Freitas, UFBA

Doutora em Ciências da Saúde (UFMG). Professora Associada – UFBA, Coordenadora do Programa de Mestrado em Psicologia da Saúde e docente do Doutorado e Mestrado em Ensino – PPGEn/UESB. Integrante do Grupo de Pesquisa Neurônia/UFBA. CV:  http://lattes.cnpq.br/1256586899421231,

Orcid: https://orcid.org/0000-0002-2065-1236

Referências

ALMEIDA, A. I. Formação de professores em competências emocionais: um estudo empírico. Tese de Doutorado. Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2013. Disponível em https://run.unl.pt/handle/10362/10186.

ANDRADE, C. A., Santos, N. N., Franco, M. G. Inteligência emocional e engagement em professores do ensino básico e secundário da Ilha da Madeira. Emotional intelligence and engagement in teachers of basic and secondary education of Madeira Island. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación, 3(2), p.121-130, 2016. Disponível em https://doi.org/10.17979/reipe.2016.3.2.1810. Acesso: 19/03/21.

ANDRADE, P., OLIVEIRA, T. Prazer e dor na docência: revisão bibliográfica sobre a Síndrome de Burnout. Revista Saúde Sociedade, vol. 21, 2012. Disponível em https://www.scielo.br/j/sausoc/a/bkHHf89FnBmcM74RktJjt3x/abstract/?lang=pt. Acesso: 09/08/20

ARANTES. M. Educação emocional integral: análise de uma proposta formativa continuada de estudantes e professores em uma escola pública de Pernambuco. Tese de Doutorado. Universidade Federal De Pernambuco, Recife, 2019. 274 F. Disponível em chrome-extension://efaidnbmnnnibpcajpcglclefindmkaj/https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/34226/1/TESE%20Mariana%20Marques%20Arantes.pdf. Acesso: 09/08/20

ATKINSON, R. L., ATKINSON, R. C., SMITH, E. E., BEM, D. J., NOLEN-HOEKSE. Introdução psicologia de Hilgard. Porto Alegre: Artmed, 2002.

BAIÃO, L; CUNHA, R. Doenças e/ou disfunções ocupacionais no meio docente: uma revisão de literatura. Revista Formação@Docente, Belo Horizonte, vol. 5, nº1, 2013. Disponível em www.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/fdc/article/view/344. Acesso: 03/10/20

BARDIN, L. Análise do Conteúdo. Portugal, Lisboa: Ed. 70, 1977.

BERROCAL, P. F., PACHECO, N. E. La inteligencia emocional y la educación de las emociones desde el Modelo de Mayer y Salovey. Revista Interuniversitaria de Formación del Profesorado, 2003. Disponível em chrome-extension://efaidnbmnnnibpcajpcglclefindmkaj/https://www.redalyc.org/pdf/274/27411927005.pdf. Acesso: 20 de set. 2020.

BOZAL, Rocío G.; MÁRQUEZ, P. G. I. Inteligencia emocional y educación: desarrollo de competencias socioemocionales. In: NAVAS, J. M. M.; BERROCAL. P. F. (Coord.). Manual de inteligência emocional. Madrid: Ediciones Pirámides, 2007.

BRANCO, A. V. Competência emocional: um estudo com professores. Coimbra: Quarteto, 2004. Disponível em: http://id.bnportugal.gov.pt/bib/bibnacional/1360851. Acesso: 12 de set. 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2017.

CAMPOS, C. M. Saberes docentes e autonomia dos professores. Petrópolis – RJ: Vozes, 2011. Acesso: 03 de jan. 2021.

CANEVER, C. F.; SANTOS, A. C. dos; GERALDO, C. de O.; FROTA, P. R. de O. Entendendo os níveis de inteligência emocional dos professores utilizando o instrumento de Herrera. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 8, n. 1, p. 65–79, 2013. Disponível em https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/6475. Acesso: 02 de abr. 2020.

COELHO, L. V. M. Competência Emocional em Professores: Contributos da Psicoeducação. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, Porto (Portugal), n. 8, p. 16-24, 2012. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1647- 21602012000200003&lng=pt&nrm=iso. Acesso: 11 de abr, 2021.

DELORS, Jacques. Educação–Um Tesouro a Descobrir. São Paulo: Cortez, 1998.

ESCALONA, E., SÁNCHEZ, T., e MEDINA, M. G. Estrategias participativas en la identificación de la carga de trabajo y problemas de salud em docentes de escuelas primarias. Salud de los Trabajadores, 15(1), 17-35, 2007. Disponível em chrome-extension://efaidnbmnnnibpcajpcglclefindmkaj/https://www.redalyc.org/pdf/3758/375839282003.pdf. Acesso: 03 de jan. 2021.

EXTREMERA, N., GONZÁLEZ-HERERO, V., RUEDA, P., FERNÁNDEZ-BERROCAL, P. Me siento triste y ahora qué hago?: Análisis de las estrategias de regulación que utilizan las personas emocionalmente. Revista Behavioral Psychology/Psicología Conductual, 20(1), p. 197-209, 2014. Disponível em chrome-extension://efaidnbmnnnibpcajpcglclefindmkaj/https://www.behavioralpsycho.com/wp-content/uploads/2019/08/13.Extremera_20-1oa.pdf. Acesso: 20 de set 2020.

FERREIRA, M. C; ASSMAR, E. M. L. Cultura organizacional. In: Siqueira et al. Medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed, 2008.

FIGUEIREDO, M. F. C. M, PEREIRA, A. M. S., BRÁS, M. de L. M. Estudo Exploratório sobre Saúde Mental dos Professores. Dissertação de Mestrado, Universidade de Aveiro, Portugal, 2007. Disponível em chrome-extension://efaidnbmnnnibpcajpcglclefindmkaj/https://ria.ua.pt/bitstream/10773/4638/1/209861.pdf

FREIRE, I., Bahia, S., ESTRELA, M. T., AMARAL, A. Trabalho docente, emoções, contextos e formação. Atas: II Simposium Nacional sobre Formação e Desenvolvimento Organizacional, pp. 23-36. Lisboa: ISCTE-IUL, 2011. Disponível em https://repositorio.ul.pt/handle/10451/8665 Acesso: 08 de maio de 2021.

___________. As crenças e literacia emocional na formação de um grupo de professores. Atas: XII Colóquio de Psicologia e Educação, 2012, (publicado em Cdrom).

GADOTTI, M. História das idéias pedagógicas. 8. ed. São Paulo: Ática, 2005.

GATTI, B.A. (Org.). Análises pedagógico-curriculares para os cursos de licenciatura

vinculados às áreas de artes, biologia, história, língua portuguesa, matemática e pedagogia no âmbito da Uab e Parfor. Documento Técnico. Brasília: Unesco/MEC/Capes, 2012.

GOLEMAN, D. Trabalhando com a Inteligência Emocional. (Trad. M. H. C. Cortês). Rio de Janeiro: Objetiva, 1998.

GUEBURI, A. Z; POLETTO C. A., VIEIRA D. M. S. Inteligência Emocional no

Trabalho. Monografia, Especialização em psicopedagogia, Instituto Brasileiro de Pós-graduação e Extensão - IBPEX, Curitiba, 2005.

GUSMÃO, T., DORIA, M, SILVA, J. Percepções e reações de professores e alunos frente às emoções na aula de matemática. Revista Binacional Brasil e Argentina (RBBA), p. 96, 2009. Disponível em https://periodicos2.uesb.br/index.php/rbba/article/view/6265 Acesso: 03 de jan. 2021.

KARAM, H. Competência emocional: um estudo de caso na educação infantil pública. Trabalho de conclusão de curso de graduação e especialização. RUNA - Repositório Universitário da Ânima, 2018. Disponível em: https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/10117 . Acesso:

LATOUR, B. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1994.

LIBÂNEO, J. C. Didática e Epistemologia: para além do embate entre a didática e as didáticas específicas. In: VEIGA, I. P. A.; D‟ÁVILA, C. (Orgs.). Profissão docente: novos sentidos, novas perspectivas. Campinas: Papirus, p.91, 2011.

MENDES, K. D. S; SILVEIRA, R. C. C. P, GALVÃO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm, 17(4), p. 758-64, 2008.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, 2000.

NICOLAU, S. I. Inteligência emocional percebida em professores e alunos: um estudo exploratório. Tese de Doutorado. Instituto Superior de Psicologia aplicada, 2008. Disponível em https://repositorio.ispa.pt/handle/10400.12/4821

PAVÃO, S. M. O. Competência emocional: um enfoque reflexivo para a prática pedagógica. Tese de Doutorado. Universidade Autônoma de Barcelona, 2003. Disponível em: https://www.tdx.cat/bitstream/handle/10803/5022/smop1de1.pdf?sequence=1 Acesso: 13 de abr. 2021.

PERRENOUD, P. Construir competências é virar as costas aos saberes? Revista Pátio. Porto Alegre: Artmed, ano 03, nº 11, p.21, 2000.

PÉREZ-ESCODA, N., FILELLA, G.., ALEGRE, A.y BISQUERRA, R. Desarrollo de la competencia emocionalde maestrosy alumnosen contextos escolares. Electronic Journal of Research in Educational Psychology,10(3), n. 28, pp: 1183-1208, 2012. Disponível em chrome-extension://efaidnbmnnnibpcajpcglclefindmkaj/http://www.investigacion-psicopedagogica.org/revista/articulos/28/espannol/Art_28_756.pdf. Acesso: 01 de jun 2020.

SAARNI, C. Competência emocional: uma perspectiva evolutiva. In: BAR-ON, R.; PARKER, J.D.A. Manual de Inteligência Emocional: teoria e aplicação em casa, na escola e no trabalho. Porto Alegre: Artmed, 2000, p. 65-98.

PARKER, J. D. A. (Org.). Manual de inteligência emocional. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.

SALOVEY, P., MAYER, J. D. Emotional Intelligence. Imagination, Cognition and Personality. 9(3), p.185–211, 1990. Disponível em https://doi.org/10.2190/DUGG-P24E-52WK-6CDG. Acesso: 10 de out. 2020.

SAMPAIO, Joana; OLIVEIRA, Íris M.; ARAUJO, Alexandra M. Competência emocional como recurso para o envolvimento de adolescentes na escola. Psicol. pesq., Juiz de Fora , v. 14, n. 1, p. 57-75, 2020. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1982-12472020000100005&lng=pt&nrm=iso Acesso: 11 de jun. 2021

SANTAMARIA, J. La competência emocional en la escuela: uma propuesta de organización dimensional. Ensayos: Revista de la Facultad de Educación de Albacete, págs. 79-96, nº. 25, 2010. Disponível em file:///C:/Users/Admin/Downloads/Dialnet-LaCompetenciaEmocionalEnLaEscuela-3736521.pdf Acesso: 06 de out 2021.

SILVA. G.A. A Educação Emocional e o Preparo do Profissional Docente. Cairu em Revista. Ano 01, n° 1, p. 01- 12, 2012. Disponível em chrome-extension://efaidnbmnnnibpcajpcglclefindmkaj/https://www.educacion.udc.es/grupos/gipdae/documentos/congreso/xcongreso/pdfs/t3/t3c40.pdf . Acesso: 01 de jun. 2020

VALENTE, S. Influência da inteligência emocional na gestão de conflito na relação professor-aluno(s). Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación 6(2):101-113, 2019. Disponível em https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=7154320 Acesso: 04 de out.2020.

VEIGA-BRANCO, A. (2005). Competência emocional em professores - um estudo em discursos do campo educativo. Tese de Doutoramento em Ciências da Educação, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, Porto, Portugal. Disponível em: https://bibliotecadigital.ipb.pt/handle/10198/5311 Acesso: 03 de jan., 2021.

Downloads

Publicado

2023-06-30

Como Citar

PINHEIRO, E.; GUSMÃO, T. C. R. S.; AZEVEDO CAMPOS, M.; MARTINS DE FREITAS, P. A competência emocional como critério essencial na formação docente. Revista Internacional de Pesquisa em Didática das Ciências e Matemática, [S. l.], p. e023009, 2023. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/revin/article/view/753. Acesso em: 23 jun. 2024.