O ensino de teoria dos conjuntos a alunos com deficiência visual:

mapeamento de pesquisas

Autores

Palavras-chave:

Ensino, Matemática, Deficientes visuais, Teoria dos Conjuntos

Resumo

Esse artigo tem como tema o ensino de Matemática para alunos deficientes visuais, especificamente o ensino de Teoria dos Conjuntos. O desenvolvimento desse estudo permeia como objetivo geral o mapeamento de pesquisas sobre metodologias voltadas ao ensino de Teoria dos Conjuntos a alunos com deficiência visual. A busca no portal de periódicos SciELO seguiu o termo chave: “matemática deficiência visual”, abordando de modo geral. Para essa busca foram encontrados sete artigos, os quais foram categorizados conforme os dados. Assim, a conclusão retoma brevemente os resultados propondo possíveis estudos para se desenvolver a partir da escassez de produções sobre o tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Priscila Nascimento de Medeiros, IFSP - câmpus Itapetininga

Licenciada em Matemática. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Campus Itapetininga. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-8722-8539

Aline de Cássia Damasceno Lagoeiro, IFSP - Câmpus Itapetininga

Pedagoga, mestre e doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos. Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Câmpus Itapetininga. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-4255-8358

Referências

BENAZZI, L. E. B. A cegueira no contexto histórico. Portal Educação. São Paulo, 2020. Disponível em: <https://siteantigo.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/nutricao/a-cegueira-no-contexto-historico/67589>. Acesso em: 03 out. 2020.

BOAS, D.C.V.; FERREIRA, L. P.; VIOLA, I. C. Professor especializado na área da deficiência visual: os sentidos da voz. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, 2012.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República [2016]. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituiçao.htm>. Acesso em: 03 out. 2020.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases. Brasília, DF.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, 2014.

BRASIL. Secretaria da Educação. Dia a dia Educação. Deficiência Visual. Paraná, 2020.

BRZEZINSKI, I. Formação de profissionais da educação no GT 8/ANPED: travessia histórica. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, v. 1, p. 1-5, 2009.

CACHAPUZ, A. F. Do sentido actual da pesquisa em formação de professores de ciências. In: Encontro de Pesquisa em Educação em Ciências, IV, Bauru, 2003. Atas... 2003, CDROM.

CIECHOWICZ, M. P.; CIECHOWICZ, F. C. A importância da disciplina metodologia da pesquisa no curso de pedagogia: um estudo de caso. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Santa Catarina, 2019. Disponível em: <https://www.nucleodoconhecimento.com.br/educacao/importancia-da-disciplina>. Acesso em: 09 dez. 2020.

CONDE, A. J. M. Definição de cegueira e baixa visão. Instituto Benjamin Constant. Brasil, 2020.

COSTA, A. B.; GIL, M. S. C. A.; ELIAS, N.C. Ensino de frações para adolescentes com deficiência visual. 2019. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2019.

FERREIRA, N. S. de A. As pesquisas denominadas "estado da arte". Educ. Soc., Campinas, v. 23, n. 79, p. 257-272, ago. 2002.

GAROFALO, D. Inclusão: você já ouviu falar nas tecnologias assistivas? Nova Escola. São Paulo, 2018. Disponível em: <https://novaescola.org.br/conteudo/12858/inclusao-voce-ja-ouviu-falar-em-tecnologias-assistivas#_=_>. Acesso em: 07 out. 2020.

GOMES, A. L.; GOMES, V. L. Recursos pedagógicos acessíveis como facilitadores de inclusão educacional do estudante com deficiência visual. Revista Diálogos Interdisciplinares. Mato Grosso do Sul, 2018. Disponível em: <https://periodicos.ufms.br/index.php/deaint/article/view/7354>. Acesso em: 09 out. 2020.

HAMZE, A. Integração ou inclusão? Brasil Escola. Brasil, 2020. Disponível em: <https://educador.brasilescola.uol.com.br/trabalho-docente/integracao.htm>. Acesso em: 28 nov. 2020.

MEGID NETO, J. Tendências da pesquisa acadêmica sobre o ensino de Ciências no nível fundamental. 1999. 365 p. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999.

MEGID NETO, J.; CARVALHO, L. M. Pesquisas de estado da arte: fundamentos, características e percursos metodológicos. In: ESCHENHAGEN, G. M. L.; VÉLEZ-CUARTAS, G. MALDONADO, C.; PINO, G.G (Edits).Construcción de problemas de investigación: diálogos entre el interior y el exterior. Universidad Pontifica Bolivariana / Universidad de Antioquia: Medellin, 2018. p. 97-113.

MENDES, E. G. A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n. 33, p. 387-405, 2006.

MORAES, R. M. C. M. A importância do sistema Braille para a educação inclusiva. Centro de Estudos e Pesquisas do Instituto Benjamin Constant. Brasil, 2020.

OLIVEIRA, S. C. O trabalho com o Soroban na inclusão de alunos deficientes visuais nas aulas de Matemática. Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-Graduação em Educação Matemática. Minas Gerais, 2015. Disponível em: <https://www.ufjf.br/ebrapem2015/files/2015/10/gd13_silvania_oliveira.pdf>. Acesso em: 02 out. 2020.

ORMINDO, L. F. Ensino de Matemática para alunos com Síndrome de Asperger: revisão sistemática de Teses e Dissertações. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Matemática) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Itapetininga, 2019.

ROMANOWSKI, J. p.; ENS, R. T. AS PESQUISAS DENOMINADAS DO TIPO “ESTADO DA ARTE” EM EDUCAÇÃO. Revista Diálogo Educacional, [S.l.], v. 6, n. 19, p. p. 37-50, jul. 2006. ISSN 1981-416X. Disponível em: <https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/24176>. Acesso em: 20 maio. 2020.

ROSA, F. M. C.; BARALDI, I. M. O uso de narrativas (auto) biográficas como uma possibilidade de pesquisa da prática de professores acerca da Educação (Matemática) Inclusiva. BOLEMA: Boletim de educação Matemática, Rio Claro, v.29, nº53, p. 936-954, 2015.

SALEM, S. Estado da arte dos estados da arte da pesquisa em ensino de Física. VII Encontro Nacional de Pesquisas em Educação de Ciências. Florianópolis, 2009.

SALEM, S. Perfil, evolução e perspectivas da pesquisa em ensino de física no Brasil. Tese de doutorado. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SCIELO. SciELO: Scientific Electronic Library Online. 1996. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_home&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 02 dez. 2020.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez & Moraes, 1986.

SHIGUNOV NETO, A. O que se pesquisa em educação em astronomia: uma análise do periódico Revista Latino-Americana de Educação em Astronomia no período compreendido de 2004 a 2019. Revista Internacional de Pesquisa em Didática das Ciências e Matemática, v. 2, p. 1-13, 2021.

ULIANA, M. R. Ensino aprendizagem de matemática para alunos sem acuidade visual: a construção de um kit pedagógico. 2012. Dissertação de Mestrado. Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Matemática. Minas Gerais, 2012.

UNIC RIO. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Agosto, 2009, Rio de Janeiro.

UNICEF. DECLARAÇÃO MUNDIAL SOBRE EDUCAÇÃO PARA TODOS. Conferência de Jomtien, Tailândia, 1990.

VIGINHESKI, L. V. M.; FRASSON, A. C.; SILVA, S. C. R.; SHIMAZAKI, E. M. O sistema Braille e o ensino da Matemática para pessoas cegas. Ciência e Educação, Bauru, v.20, nº4, p. 903-916, 2014.

VIGINHESKI, L. V. M.; SHIMAZAKI, E. M.; SILVA; S. C. R.; PACHECO, E. R. Formação de conceitos em Geometria e Álgebra por estudante com deficiência visual. Ciência e Educação, Bauru, v.23, nº4, p. 1047-1065, 2017.

Downloads

Publicado

2021-07-18

Como Citar

Medeiros, P. N. de, & Lagoeiro, A. de C. D. (2021). O ensino de teoria dos conjuntos a alunos com deficiência visual: : mapeamento de pesquisas. Revista Brasileira De Iniciação Científica, 8, e021027. Recuperado de https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/rbic/article/view/443