Modelos na educação em ciência no século XX

contributos para a sua utilização no ensino das Geociências

Autores

  • Jorge Bonito Universidade de Aveiro

Palavras-chave:

Educação em ciência, Representação, Modelo didático, Limites do modelo, Abordagem crítica

Resumo

Este trabalho tem como objetivo discutir a importância dos modelos na educação científica, com ênfase no ensino das Geociências. A partir da literatura, selecionada por conveniência até final do século XX, explora-se a relevância dos modelos como ferramentas para a compreensão de conceitos complexos e sua aplicação. Destaca-se a necessidade de compreender as concepções alternativas dos alunos antes de introduzir um modelo, bem como a importância de delimitar claramente os limites entre o modelo, a fonte do modelo e a realidade representada pelo modelo. Além disso, são discutidos diferentes tipos de modelos, sua utilização adequada no contexto educacional e a importância de uma abordagem crítica em relação aos modelos. Enfatiza-se a relevância dos modelos como instrumentos para o desenvolvimento do conhecimento, das capacidades e das atitudes dos alunos, ressaltando a necessidade de utilizá-los de forma justificada e criteriosa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jorge Bonito, Universidade de Aveiro

Doutor em Ciências da Educação – Formação de Professores, pela Universidade de Coimbra, Portugal. Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora, Portugal. Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores da Universidade de Aveiro, Portugal.  ORCID: https://orcid.org/0000-0002-5600-0363

Referências

ANDRADE, Godoberta Perdigão. Ensino da geologia. Temas didácticos. Lisboa, Universidade Aberta, 1991.

BACHELARD, Gaston. La formation de l'esprit scientifique. 3. ed.. Paris: Presses Universitaires de France, 1986.

BELL, P. M. Aluminium silicate system: experimental determination of the triple point. Science, v. 139, n. 3559, p. 1055-56, 1963. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/17812984/.

BERNICOT, Josie. L'étude expérimentale des métaphores. L'Année Psychologique, v. 81, n. 2, p. 465-84, 1981. Disponível em https://doi.org/10.3406/psy.1981.28388.

BLANCHET, A. La construction de modeles spontanes chez l’enfant et le role de la simulation. In: GIORDAN, André; MARTINAND, Jean-Louis (Coords.) Actes des IXémes Journées internationales sur l’éducation scientifique. Chamonix, A. Giordan e J. L. Martinand Editeurs, 1987, p. 63-70.

CACHAPUZ, António Francisco (1989). Linguagem metafórica e o ensino das ciências. Revista Portuguesa de Educação, v. 2, n. 3, p. 117-29, 1989.

CACHAPUZ, António Francisco; OLIVEIRA, Teresa. Metaphorical language, science teaching and the initial training of portuguese science teachers: What's missing? Comunicação apresentada na conferência Teacher Education in Europe: the Challenges a Head. Glasgow, 1990.

COMÉNIO, Jan Amos. Didáctica magna. 3. ed. Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1985.

DREISTADT, Roy. An analysis of the use of analogies and methaphors in science. The Journal of Psychology, v. 68, n. 1, p. 97-116, 1988. Disponível em: https://doi.org/10.1080/00223980.1968.10544134.

DRIVER, R. Un enfoque constructivista para el desarrollo del currículo en ciencias. Enseñanza de las Ciencias, v. 6, n. 2, p. 109-20, 1988. Disponível em: https://raco.cat/index.php/Ensenanza/article/view/51075.

FOURMENT, Marie-Claude; EMMENECKER, Nelly; PANTZ, Valérie. Étude de la production de métaphores chez des enfants de 3 a 7 ans. L'Année Psychologique, v. 87, n. 4, p. 535-51, 1987. Disponível em: https://doi.org/10.3406/psy.1987.29233.

GARCÍA DE LA TORRE, Enrique; PEDRINACI, Emilio; SEQUEIROS, Leandro. Fundamentos para aprendizaje de la geología de campo en educación secundaria: Una propuesta para la formación del profesorado. Enseñanza de las Ciencias de la Tierra, v. 1, n. 1, p. 11-18, 1993. Disponível em: https://raco.cat/index.php/ECT/article/view/88078.

GILBERT, Seteven W. An evaluation of the use of analogy, simile and metaphor in science texts. Journal of Research in Science Teaching, v. 26, n. 4, p. 315-27, 1989. Disponível em: https://doi.org/10.1002/tea.3660260405.

GILBERT, J.; OSBORNE, R. The use of models in science and science teaching. The European Journal of Science Education, v. 2, n. 1, p. 3-13, 1980. Disponível em: https://doi.org/10.1080/0140528800020103.

GIORDAN, A. Modeles et simulation: une mode ou des utils pour la CEC (communication, education, culture) scientifique? In: GIORDAN, André; MARTINAND, Jean-Louis (Coords.) Actes des IXémes Journées internationales sur l’éducation scientifique. Chamonix, A. Giordan e J. L. Martinand Editeurs, 1987, p. 17-31.

GUIMAND, S. Le modèle en biologie. In Encyclopaedia Universalis France (Ed.), Encyclopaedia Universalis. Vol. 2. Paris, DC, Autor, 1980.

HOWARD, R. Teaching science with metaphors. School Science Review, v. 70, n. 252, p. 1123-125, 1989.

LEITE, Aurora; FUTURO, Alexandre; SILVA, R.; MARQUES, Luís; PRAIA, João; TRINDADE, Vítor. Tectónica global e trabalho prático: Contribuição para um sentido inovador do ensino. Enseñanza de las Ciencias de la Tierra, v. 2, n. 2, p. 354-60, 1994. Disponível em: https://raco.cat/index.php/ECT/article/view/88165.

LLIBOUTRY, L. Petit glossaire méthodologique. In: GIORDAN, André; MARTINAND, Jean-Louis (Coords.) Actes des IXémes Journées internationales sur l’éducation scientifique. Chamonix, A. Giordan e J. L. Martinand Editeurs, 1987, p. 97-102.

MARTINAND, Jean-Louis. Modèles et simulation: en guise d’introduction. In: GIORDAN, André; MARTINAND, Jean-Louis (Coords.) Actes des IXémes Journées internationales sur l’éducation scientifique. Chamonix, A. Giordan e J. L. Martinand Editeurs, 1987, p. 33-44.

MEHEUT, M.; LARCHER, C.; CHOMAT, A.; BARBOUX, M. Modèles particulaires et apprentissage de la modelisation au collège. In: GIORDAN, André; MARTINAND, Jean-Louis (Coords.) Actes des IXémes Journées internationales sur l’éducation scientifique. Chamonix, A. Giordan e J. L. Martinand Editeurs, 1987, p. 105-10.

MELENDEZ, Bermudo; FUSTER, José María. M. Geología. 5. ed. Madrid, Editorial Paraninfo, 1991.

OLIVEIRA, Maria Teresa. Linguagem e aprendizagem. In: OLIVEIRA, Maria Teresa. (Coord.) Didática da Biologia. Lisboa: Universidade Aberta1, 1991, p. 157-90.

OSBORNE, R.; GILBERT, J. The use of models in science teaching. The School Review, v. 62, n. 218, p. 57-67, 1980. Disponível em: https://doi.org/10.1080/0140528800020103.

PEREIRA, M. P. Modelos em ciência: Usos e limitações. In Atas do I Encontro sobre Educação em Ciências. Braga, Universidade do Minho, 1987, p. 75-87.

PRAIA, João. Formação de professores no ensino da Geologia: Contributos para uma didáctica fundamentada na epistemologia das ciências. O caso da deriva continental. Vol. I Tese (Doutorado em Educação). Universidade de Aveiro, Aveiro, 1995.

SANTOS, S. B.; GONÇALVES, O. Construção de metáforas e formação psicológica de professores. Revista Portuguesa de Educação, v. 1, n. 1, 63-77, 1988.

STRAHLER, Arthur N. Geología física. Barcelona, Ediciones Omega, 1992.

TRINDADE, Maria Nazaret. O processamento da lnguagem metafórica. In PATRÍCIO, Manuel Ferreira (Coord.) Atas do IV Seminário A componente de psicologia na formação de professores e outros agentes educativos. Évora, Departamento de Pedagogia e Educação da Universidade de Évora, 1993, p. 203-16.

Downloads

Publicado

2024-02-08

Como Citar

BONITO, J. Modelos na educação em ciência no século XX: contributos para a sua utilização no ensino das Geociências. Revista Internacional de Pesquisa em Didática das Ciências e Matemática, [S. l.], p. e024002, 2024. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/revin/article/view/1532. Acesso em: 14 abr. 2024.