Os estilos de aprendizagem e a formação inicial do professor

um olhar para a produção acadêmica de pós-graduação em educação e ensino de ciências

Autores

  • Regiane Dias Coitim Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Dulce Maria Strieder Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Marco Antonio Batista Carvalho Universidade do Oeste do Paraná

Palavras-chave:

Estilos de aprendizagem. Formação docente. Educação em Ciências. Processo de ensino e aprendizagem.

Resumo

 Os estilos de aprendizagem trazem contribuições para a formação e ação docente, na medida em que explicitam aspectos das preferências individuais na forma de processar as informações e construir seu conhecimento. O objetivo da pesquisa consistiu em averiguar a importância dos estilos de aprendizagem para a formação inicial do professor, para tal, buscou-se analisar as produções acadêmicas de teses de doutorado, inicialmente no campo da Educação em Ciências e, posteriormente, no campo da Educação. A pesquisa seguiu a linha qualitativa, no perfil estado do conhecimento. Para melhor exposição dos dados foram apresentadas nas categorias “Processo de ensino-aprendizagem” e “Metodologias e recursos”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Regiane Dias Coitim, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Pedagoga. Mestranda em Educação em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Educação Matemática. UNIOESTE. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-5554-8223

Dulce Maria Strieder, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo – USP. Docente da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE, campus Cascavel, com atuação na área de Física e no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Educação Matemática (Mestrado e Doutorado) do Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas/UNIOESTE. ORCID:https://orcid.org/0000-0003-4495-6664

Marco Antonio Batista Carvalho, Universidade do Oeste do Paraná

 Doutor em Letras pela Universidade Federal da Bahia – UFB. Docente na Universidade Estadual do
Oeste do Paraná/UNIOESTE, com atuação na área de Educação e no Programa de Pós-Graduação
em Educação em Ciências e Educação Matemática (Mestrado e Doutorado) do Centro de Ciências
Exatas e Tecnológicas/UNIOESTE. ORCID:https://orcid.org/0000-0002-6811-2661

Referências

ALONSO, C. M.; GALLEGO, D. J.; HONEY, P. Los estilos de Aprendizaje: Procedimentos de diagnostico y mejora. 7. ed. Bilbao: Ediciones Mensajero. 2002.

AMARAL, M. P. Uso de Padrões Pedagógicos em Consonância com Estilos de Aprendizagem: um levantamento centrado no Ensino Técnico Profissionalizante. Tese - Doutorado em Ensino De Ciências. Instituição de Ensino: Universidade Cruzeiro Do Sul. São Paulo, p.125. 2015.

AMORIM, M. C. M. D. S. O ensino de algoritmos para disciplinas de computação no ensino médio: investigando os estilos de aprendizagem. Tese - Doutorado em Políticas Públicas E Formação Humana. Instituição de Ensino: Universidade Do Estado Do Rio De Janeiro. Rio de Janeiro. 2019.

ANDREOLI, F. D. N. Ensinar e aprender: uma proposta de aprendizagem colaborativa na disciplina da engenharia ambiental. Tese - Doutorado em EDUCAÇÃO Instituição de Ensino: Pontifícia universidade católica do paraná, Curitiba, p.311. 2012.

BARROS, D. M. V. A teoria dos estilos de aprendizagem: convergências com as tecnologias digitais. Revista SER: Saber, Educação e Reflexão. São Paulo, n.2, p. 14-28, jul – dez. 2008.

BARROS, D. M. V Estilos de aprendizagem e as tecnologias: guias didáticos para o ensino fundamental. In TORRES, Patrícia Lupion. Metodologias para a produção do conhecimento: da concepção á prática. Curitba: Senar, 2015.

BARROS, D. M. V. Estilos de uso do espaço virtual: como se aprende e se ensina no virtual. Revista faculdade de educação. UFG, n.34, p.51-74, jan/jun. 2009.

BARROS, D. M. V.; GARCIA, C. A.; AMARAL, S. F. d. A. Estilo de uso do espaço virtual. Revista de Estilos de Aprendizaje. N. 1. P.88-108, abr.2008.

CALEGARI, R. P. Estilos de aprendizagem no ensino superior: estudo de casos com docentes e discentes de uma instituição de ensino. Tese - Doutorado em Ensino De Ciências. Instituição de Ensino: Universidade Cruzeiro Do Sul. São Paulo, p. 169. 2019.

CAMPOS, M. O. C. Contribuição dos estilos de aprendizagem para educação à distância. Tese - Doutorado em Educação Instituição de Ensino: Universidade federal do Ceará. Fortaleza, p.304. 2005.

CERQUEIRA, T. C. S. Identificação dos estilos de aprendizagem em universitário. Tese (Doutorado em Educação) - Instituição de Ensino: Universidade Estadual de Campinas. Campinas, p.179. 2000.

CURY, H. N. Estilos de aprendizagem de alunos de engenharia. Porto alegre, 2000. Disponível em: < http://www.abenge.org.br/cobenge/arquivos/19/artigos/169.pdf>. Acesso em 28 de out. de 2020.

CORREIA, R. M. Análise da Disciplina On-line de Probabilidade e Estatística: o modelo de comunidade de inquirição e a educação estatística no Ensino Superior. Tese – Doutorado Ensino de Ciências: Universidade Cruzeiro do Sul, 2013.

CHAGAS, J. F.. Adolescentes talentosos: características individuais e familiares. Tese - Doutorado em processos de desenvolvimento humano e saúde Instituição de Ensino: Universidade de Brasília. Brasília, p 242. 2008.

DIAS, G. P.; SAUAIA, A. C. A.; YOSHIZAKI, T. Y. Estilos de aprendizagem Felder-Silverman e o aprendizado com jogos de empresa. Revista de administração de empresas. São Paulo, v.53, n.5, p. 1-15, set./oct. 2013.

FILATRO, A. Estilos de Aprendizagem: teoria e prática dos estilos de aprendizagem. Brasília: Enap, 2015.

FILHO, A. B. D. C.. MOTRAC - modelo de trajetórias de aprendizagem conceitual. Tese - Doutorado em Informática Na Educação Instituição de Ensino: Universidade Federal do Rio Grande Do Sul, Porto Alegre, p. 135. 2015.

FILHO, M. d. S. C.; GHEDIN, E. L. Formação de professores e construção da identidade profissional docente. In: Anais IV COLBEDUCA e II CIEE, Braga e Paredes de Coura, Portugal – jan. 2018.

FELICETTI, V. L. Comprometimento do aluno: um elo entre aprendizagem e inclusão social na qualidade da Educação Superior. Tese - Doutorado em EDUCAÇÃO Instituição de Ensino: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, p. 298. 2011.

FROTA, M. C. R. O pensar matemático no ensino superior: concepções e estratégias de aprendizagem dos alunos. Tese - doutorado em educação instituição de ensino: Universidade federal de minas gerais. Belo horizonte, p.322. 2002.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2009, 116p.

IMBERNON, F. Formação docente e profissional: Formar-se para mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2011.

LINDEMANN, V. Estilos de aprendizagem: buscando a sinergia. Tese - Doutorado em Informática na educação Instituição de Ensino: Universidade federal do rio grande do sul. Porto Alegre, p.210. 2008.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. d. A. Fundamentos de metodologia cientifica. São Paulo: Atlas, 2011.

LIBÂNEO, J. C. Formação de professores e didática para desenvolvimento humano. Educação & Realidade. Porto Alegre, n.2, p. 1-22. 2015.

LOPES, G. D. O. Construção e evidência de validade e precisão da escala de estilos de aprendizagem de universitários. Tese - Doutorado em psicologia. Instituição de Ensino: Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Campinas, p.133. 2011.

LOPES, W. M. G. ILS – Inventario de estilos de aprendizagem de felder-saloman: investigação de sua validade em estudantes universitários de belo horizonte. Dissertação - Engenharia de produção. Instituição: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, p.108. 2002.

LUSTOSA, F. G. Inclusão, o olhar que ensina: o movimento da mudança e a transformação das práticas pedagógicas no contexto de uma pesquisa-ação. Tese - Doutorado em Educação Instituição de Ensino: Universidade federal do Ceará, Fortaleza, p. 275. 2009.

MACENHAN, C.; TOZETTO, S. S.; BRANDT, C. F. Formação de professores e prática pedagógica: uma analise sobre a natureza dos saberes docentes. Práxis Educativa. Ponta Grossa, n. 2, p. 505 – 525, mai/ago. 2016.

MIRANDA, L.; MORAIS, C. Estilos de aprendizagem: o questionário chaea adaptado para língua portuguesa. Revista de Estilos de Aprendizajem. N. 1. p.66-87, abr. 2008.

MULLER, T. J. Objetos de aprendizagem multimodais e ensino de cálculo: uma proposta baseada em análise de erros. Tese - Doutorado em Informática Na Educação Instituição de Ensino: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, p. 203. 2015.

NASCENTE, R. M. M. Canais de percepção, estilos de aprendizagem e variáveis afetivas: um estudo de baixo rendimento de aprendizagem de língua inglesa. Tese - Doutorado em EDUCAÇÃO ESCOLAR Instituição de Ensino: Universidade paulista Júlio de Mesquita filho/Araraquara. Araraquara, p.243. 2004.

NUNES, C. M. F. Saberes docentes e formação de professores: um breve panorama da pesquisa brasileira. Educação & sociedade. Rio de Janeiro, n.74, p. 27-42, abr. 2001.

QUEIROZ, J. D. D. A influência da motivação intrínseca e do engajamento multidimensional no desempenho do aluno, sob a perspectiva da sociedade do conhecimento. Tese - Doutorado em Difusão Do Conhecimento. Instituição de Ensino: Universidade Federal Da Bahia, Salvador. 2017.

ROMANOWSKI, J. P.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo estado da arte em educação. Dialogo Educação. Curitiba, v.6, n.19, p. 37-50, set./dez. 2006.

ROZA, R. H. Estilos de aprendizagem e o uso das tecnologias da informação e comunicação. Tese - Doutorado em Psicologia. Instituição de Ensino: Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Campinas, p.158. 2017.

SANTOS, M. E. K. L. D. Parâmetros para Avaliação de Objetos Virtuais de Aprendizagem. Tese - Doutorado em ensino de ciências. Instituição de Ensino: Universidade Cruzeiro do Sul. São Paulo, p.195.2013.

SANTOS, V. M. D. Materiais audiovisuais para a educação a distância a contribuição dos estilos de aprendizagem. Tese - Doutorado em educação escolar. Instituição de Ensino: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho/Araraquara. Araraquara, p 313. 2013.

SARON, A. Unidade de Ensino Direcionada e Potencialmente Significativa no Ensino de Química Ambiental: Uma Experiência sobre a Aprendizagem de Índice de Qualidade de Água considerando Estilos de Aprendizagem. Tese - Doutorado em Ensino De Ciências Instituição de Ensino: Universidade Cruzeiro Do Sul. São Paulo, p124. 2016.

SILVA, D. M. d.; NETO, J. D. D. O. O impacto dos estilos de aprendizagem no ensino de contabilidade. Revista contabilidade vista & Revista. Belo Horizonte, v.21, n.4, p.123-156, out./dez. 2010.

SILVA, D. M. D. O impacto dos estilos de aprendizagem no ensino de contabilidade na FEA – RP/ USP. Dissertação – Departamento de contabilidade. Instituição: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto. São Paulo, p.172. 2006.

SILVA, M. E. F. da; GALEMBECK, E. Preferencias de estilos de aprendizagem, entre os usuários da biblioteca digital de ciências (BDC – IB- Unicamp). Revista brasileira de pesquisa em educação em ciências. Campinas, n.1, p. 171-189, 2014.

SIQUEIRA, L. M. M. Uma proposta metodológica com o apoio de tecnologias educacionais na universidade: um relato de experiência do curso de engenharia elétrica. Tese - Doutorado em Educação. Instituição de Ensino: Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Curitiba, p.205. 2010.

SOUZA, A. G. d. S.; ROSA, R. C. R.; ROCHA, S. d. F.. Perfil dos estilos de aprendizagem segundo o modelo VARK numa amostra de trombonistas: um estudo piloto. In: VI Simpósio Científico da ABT, 2017, Cuiabá MT. Anais ... Mato Grosso: Guiabá, 2017. P.126-137.

SOUZA, J. F. D. Estilos de Aprendizagem no ensino de estatística: um estudo em um Curso Superior de Gestão de Recursos Humanos. Tese - Doutorado em Ensino de Ciências. Instituição de Ensino: Universidade Cruzeiro Do Sul. São Paulo, p. 143. 2015.

SCHMITT, C. d. S.; DOMINGUES, M. J. C. d. S. Estilos de aprendizagem: um estudo comparativo. Avaliação. São Paulo, v.21, n.2, p.361-385, jul. 2016.

VERSUTI, A. C. Qualidade do ensino a distância em instituições de ensino superior na percepção de coordenadores e docentes: estudo de caso sobre o curso para gestores da rede estadual de ensino do Estado de São Paulo. Tese - Doutorado em Educação. Instituição de Ensino: Universidade Estadual de Campinas. Campinas, p 160. 2007.

VEIGA, I. P. A. Docência como atividade profissional. In:____. Profissão docente: novos sentidos, novas perspectivas. São Paulo: Papirus, 2008.

VIEIRA, D.A. Dos estilos e estratégias de aprendizagem à didatização de materiais para o ensino do italiano língua estrangeira na pedagogia pós-método. Tese – Doutorado. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. São Paulo, p.245. 2017.

VILLELA, T. C. R. Estratégias No Ensino De Vestir-Se E Alimentar-Se Para Uma Criança Com Baixa Visão. Tese - Doutorado em Educação Especial Instituição de Ensino: Universidade Federal De São Carlos. São Carlos, p. 119. 2018.

ZUNGUZE, M. C. Adaptatividade de Apresentações Paralelas Multimídia: Trajetórias de Aprendizagem Temporais. Tese - Doutorado em Informática Na Educação. Instituição de Ensino: Universidade Federal Do Rio Grande Do Sul. Porto Alegre, p.123. 2017.

Downloads

Publicado

2022-12-21

Como Citar

DIAS COITIM, R.; STRIEDER, D. M.; CARVALHO, M. A. B. Os estilos de aprendizagem e a formação inicial do professor: um olhar para a produção acadêmica de pós-graduação em educação e ensino de ciências. Revista Internacional de Pesquisa em Didática das Ciências e Matemática, [S. l.], v. 3, p. e022007, 2022. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/revin/article/view/808. Acesso em: 2 fev. 2023.