Arte e ciência no ensino interdisciplinar das ciências

Autores

  • António Cachapuz Universidade de Aveiro

Palavras-chave:

Ciência. Arte. Interdisciplinaridade. Ensino das Ciências.

Resumo

Um modo possível de nos tornarmos mais humanos é através de uma visão dialógica entre a Arte e Ciência em contraponto com a visão segmentada e hierárquica do conhecimento. Tendo como referência as ideias de Morin sobre a complexidade do conhecimento, o estudo visa promover uma perspetiva diferente das relações entre Arte e Ciência e do modo como essa nova perspetiva pode ser explorada no ensino interdisciplinar das ciências. Após uma reflexão epistémica sobre o tema, apresentam-se exemplos oriundos da pesquisa sugerindo pistas de trabalho para apoiar os professores de ciências numareconfiguração interdisciplinar do seu ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

António Cachapuz, Universidade de Aveiro

Doutor em Química. Docente (aposentado) da Universidade de Aveiro

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-9112-6087

Referências

BACHELARD, G. L ́air et les Songes: essai sur l´imagination des forces. Paris: J. Corti, 1943.

BRAUND, M.; REISS, M. The ‘Great Divide’: How the Arts Contribute to Science and Science Education. Canadian Journal of Science Mathematics and Technological Education. v. 19, n. 3, p. 219–236, 2019.

CAGE, J. Paisagem Imaginária. Março, n. 4. New York: Peters,1951.

CACHAPUZ, A. Art and science: improving teachers´s interdisciplinary competences. Journal of Science Education, v.14, special issue, p. 5-7, 2013.

CACHAPUZ, A. Arte e Ciência no ensino das ciências. Interações, v. 31, p. 95-106, 2014.

CACHAPUZ, A.; FERREIRA, P. Bridging art and science in science education. Journal of Science Education, v. 2, n.11, p. 60 - 63, 2010.

CARAÇA, J.; CARRILHO, M. O Imaterial e o Arquipélago dos Saberes. Colóquio Ciências, v. 4, n. 12, p. 83-92, 1984.

CARRILHO, M. Epistemologia: Posição e Críticas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1991.

COLUCCI-GRAY, L.; TROWSDALE, J.; COOKE, C. F.; DAVIES, R.; BURNARD, P.; GRAY, D. S. Reviewing the potential and challenges of developing STEAM education through creative pedagogies for 21st learning: how can school curricula be broadened towards a more responsive, dynamic, and inclusive form of education? London: British Educational Research Association, 2017.

CORSO, J.; ROCHA, M; GARCIA, R. Um relato de experiência sobre interações entre a ciência e as artes visuais na Educação Básica. Cadernos de Aplicação, v. 32, n. 1, p. 51-60, 2019.

CUNHA, M.; GIORDAN, M. A imagem da Ciência no Cinema. Química Nova na Escola, v. 13, n.1, p. 9 -17, 2009.

DAMÁSIO, A. O erro de Descartes. Lisboa: Publicações Europa América, 1994.

DILLON, P. A pedagogy of connection and boundary crossings: methodological and epistemological transactions in working across and between disciplines. Innovations in Education and Teaching International, v. 45, n. 3, p. 265- 262, 2008.

FARIAS, J.; AIRES, R.; ARÊDES, G.; FREIRE, A.; VALLIM, M.; GÓES, A. Linhagem Mitocondrial e os personagens do romance O tempo e o Vento: a interdisciplinaridade representada em material didático. Experiências em Ensino de Ciências, v. 12, n. 2, p.24-37, 2017.

FERREIRA, F. Arte: aliada ou instrumento no ensino das ciências? ArReDia, v.1, n.1, p.1-12, 2012.

FLICK, U. Introdução à Pesquisa Qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREITAS, M.; SILVA; M.; SOUZA, J. Os móbiles são estáveis ou instáveis? Ciência e Arte para professores. Ciência em Tela, v. 12, n.1, p.1-17, 2019.

GOLDBERG, M. Arts integration: Teaching subject matter through the arts in multicultural settings. London: Routlege, 2016.

GORRI, A.; FILHO, O. Representação de temas científicos em pintura do século XVIII: um estudo interdisciplinar entre Química, História e Arte. Química Nova na Escola, v. 31, n. 3, p. 184-189, 2009.

GROTO, S.; MARTINS, A. Monteiro Lobato em aulas de ciências: aproximando ciências e literatura na educação científica. Ciência e Educação, v. 21, n.1, p.219-238, 2015.

GUIMARÃES, L.; SILVA, C. A contribuição da Arte para a formação de professores de Química. Indagatio Didatica, v. 8, n.1, 226-239, 2016.

HARRIS, A.; DE BRUIN, L. R. Secondary school creativity, teacher practice and STEAM education: An international study. Journal of Educational Change, n. 9, p.153–179, 2018.

JACOB, F. O jogo dos possíveis. Lisboa: Gradiva, Lisboa, 1985.

KEMP, M. Visualisations- the nature book of art and science. Oxford: Oxford U. P., 2000.

KUHN, T. A tensão essencial. Lisboa: edições 70, 1989.

MATIAS, A.; CARRASCO, R.; RAMOS, A; BORGES, R. Engaging children in geosciences trough storytelling and creative dance. Geoscience Communication, p. 1-18, outubro, 2019.

MEDINA, M; BRAGA, M. O teatro como ferramenta de aprendizagem da Física e de problematização da natureza da ciência. Caderno Brasileiro de Ensino da Física, v. 27, n. 2, p. 313-333, 2010.

MONTEIRO, J. Criatividade em arte, criatividade em ciência. Boletim da Sociedade Portuguesa de Química, n. 28, Série II, 1987.

MOREIRA, M. A. Oxigénio: uma abordagem filosófica visando discussões acerca da Educação em Ciências – parte 1, poder e ambição. Ciência & Educação, v.18, n. 4, p. 363-381, 2012.

MORIN, E. Pour une réforme de la pensée. Courrier de l´UNESCO, Fevrier, p.10-14, 1996.

MORIN, E; LE MOIGNE, J. L. A inteligência da Complexidade. São Paulo: Peiropólis, 1999.

NETO, H.; PINHEIRO, B.; ROQUE, N. Improvisações teatrais no Ensino de Química: interface entre teatro e cinema na sala de aula. Química Nova na Escola, v. 35, n. 2, p.100 -106, 2013.

ORNA, M. Chemistry, Color and Art. Journal of Chemical Education, v.78, n.10, p.1305-1309, 2001

PANCIERI, T; Leite P. Exposição do acervo de obras de arte do IFES: diálogos com a Ciência. Vitória: IFES, Campus Montanha, 2016.

PARKINSON, G. Surrealism, Art and Modern Science: Relativity, Quantum Mechanics, Epistemology. New Haven: Yale U.P., 2008.

PIASSI, L. A ficção científica como elemento de problematização na educação em ciências, Ciência e Educação, v. 21, n. 3, p.783-798, 2015.

PLAZA, J. Arte/Ciência, uma consciência. Comunicações e Artes, v.19, n. 29, p.24-33, 1996.

POINCARÉ, H. La valeur de la science. Paris: Flammarion, 1920.

POIRIER, H. Picasso a-t.il peint la relativité d´Einstein? Science et Vie, Avril, p.124-129, 2003.

ROTH, W. Heisemberg´s Principle and Interpretative Research in Science Education. Journal of Reserach in Science Teaching, v. 30, n.7, p. 669-680, 1993.

SANTOS, P.; AQUINO. K. Utilização do cinema na sala de aula: aplicação da química dos perfumes no ensino de funções orgânicas oxigenadas e bioquímica. Química Nova na Escola, v. 33, n. 3, p. 160-167, 2011.

SHAPIRO, J.; RUCKER, L.; BECK, J. Training the clinical eye and mind: using the arts to develop medical students’ observational and pattern recognition skills. Medical Education, n. 40, p. 263-268, 2006.

SILVA, A; REIS, J; REGO, S. Publicações sobre o ensino de Física Moderna: relações construídas entre Artes e Física. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 36, n. 2, p. 366-382, 2019.

SOUZA, R.; NEVES, S. O livro paradidático no ensino de Física - uma análise fabular, científica e metafórica da obra Alice no País do Quantum: A Física Quântica ao al¬cance de todos. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 33, n. 3, p. 1145-1160, 2016.

STROSBERG, E. Art et Science. Paris: UNESCO, 1999.

Downloads

Publicado

2020-07-31

Como Citar

CACHAPUZ, A. Arte e ciência no ensino interdisciplinar das ciências. Revista Internacional de Pesquisa em Didática das Ciências e Matemática, [S. l.], v. 1, p. e020009, 2020. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/revin/article/view/89. Acesso em: 19 ago. 2022.