Educação em ciências

pensar o todo

Autores

  • António Cachapuz Universidade de Aveiro

Palavras-chave:

educação em ciências; interdisciplinaridade

Resumo

Tendo como referência a epistemologia da complexidade de Edgar Morin, o estudo visa apoiar uma reflexão crítica sobre a natureza interdisciplinar da Educação em Ciências. Discute-se o próprio campo epistémico da Educação em Ciências como uma ilha de racionalidade segundo Fourez e, em articulação com o anterior argumento, destacam-se três dimensões interdisciplinares: orientação CTS do currículo escolar; pluralismo metodológico no ensino; práticas pedagógicas dos professores. Apresentam-se sugestões de trabalho para os professores visando ajudar os alunos a reinventarem a sua relação com o conhecimento permitindo-lhes dar sentido, unidade e coerência à diversidade das suas representações e experiências com o mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

António Cachapuz, Universidade de Aveiro

Professor Catedrático (aposentado) da Universidade de Aveiro/CIDTFF. ORCID:  https://orcid.org/0000-0001-9112-6087

Referências

AGUIAR, E.; CAVALCANTE, K. Uso de jogos educacionais no ensino transdisciplinar de temas ambientais: estudo de caso com a plataforma Scratch. Vitruvian Cogitationes, v.4, n.1, p.10-22, 2023.

ARZTMAN, M.; HORNSTRA, L; JEURING, J.; KESTER, L. Effect Gamesin STEM education: a meta-analysis on the mentoring role of student background characteristics. Studies in Science Education, vol. 59, n. 1, p. 109-145, 2023.

BOSZKO, C.; ROSA, C. Diários Reflexivos: definições e referenciais norteadores, Insignare scientia, vol. 3, n. 2, p. 18-35, 2020.

BAPTISTA, G.; GOUVEIA R.; CARMO, R. A Epistemologia da Prática Profissional Docente: Observações sobre alguns desafios atuais. Ensino Em Re- Vista, vol. 23, n.1, jan./jun., 49-69, 2016.

BRAUND, M.; REISS, M. The ‘Great Divide’: How the Arts Contribute to Science and Science Education, Canadian Journal of Science Mathematics and Technology Education, v.19, n. 6, 219-236, 2019. DOI: 10.1007/s42330-019-00057-7.

CACHAPUZ, A. Educação em Ciências e o Arquipélago dos Saberes: uma abordagem epistemológica. In: Educação em Ciências: epistemologias, princípios e ações educativas. Curitiva: CRV, 2012, p. 117-134.

CACHAPUZ, A. Arte e ciência no ensino interdisciplinar das ciências. Revista Internacional de Pesquisa em Didática das Ciências e Matemática, v. 1, p.1-9, 2020.

CACHAPUZ, A. Educação em Ciências: contributos para a mudança. Vitruvian Cogitationes, v 3, n. 2, p. 64-80, 2022.

FAZENDA, I. (Org). O que é a interdisciplinaridade. São Paulo: Cortez, 2008.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FOUREZ, G. La Construction des Sciences. Bruxelas: De Boeck Univ., 1995.

GARCÍA-CARMONA, A. STEAM, una nueva distracción para la ensenanza de la ciencia? Ápice. Revista de Educación Científica, 4 (2), p. 35-50, 2020. DOI: https://doi.org/10.17979/ arec.2020.4.2.6533

GARCIA, M.; CEREZO, J.; LÓPEZ, J. Ciencia, Tecnologia e Sociedad. Madrid: Tecnos, 1996.

HIDALGO, J; QUEIROZ, D.; OLIVEIRA, M. A H i s t ó r i a da C i ê n c i a n o P N L D 2 0 1 8 :o Pri n c í p i o d e Ar q u i me d e s c o m o e s t u d o d e c a s o. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 38, n. 2, p. 1251-1281, ago. 2021.

JORGE, F.; PAIXÃO, F.; SILVEIRA, P. (coords.) A Escola de Aprender: Contributos para a sua construção - Volume II, Instituto Politécnico de Castelo Branco, 2023. DOI: https://doi.org/10.53681/2023.l03/04.

LABURÚ, C.; ARRUDA, S.; NARDI, R. Pluralismo metodológico no ensino de ciências. Ciência & Educação, v. 9, n. 2, p. 247-260, 2003.

LUDKE, H.; ANDRÉ, M. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. SP: EPU, 1986.

MARINELI, F. O terraplanismo e o apelo à experiência pessoal como critério epistemológico. Caderno Brasileiro de Ensino da Física, v. 37, n.3, 1173-1192, dez, 2020.

MARTINI, C.; PARESCHI, C. Ciência, Tecnologia e Sociedade: a importância do enfoque CTS para a educação a distância. In: Fronteiras do conhecimento científico. Felipe Asens (Org.), Deerfield Beach, Fl: Pembroke Collins, 2023.

MAYOR., F. La science porquoi et pour qui? Le Courier de l´UNESCO, n.9, maio, 1999.

MORIN, E. O problema epistemológico da complexidade. Lisboa: Europa-América, 1996.

MORIN, E. Ciência com Consciência. Rio de Janeiro: Bertrand, 2005.

MORIN, E. Um festival de incertezas. Espiral, v. 4, p. 5-12, 2020.

PERALES, F.; AGUILERA, D. Ciencia-Tecnología-Sociedad vs. STEM: íevolución, revolución o disyunción? Ápice. Revista de Educación Científica, vol. 4, n. 1, p. 1-15, 2020. DOI: https://doi.org/10.17979/arec.2020.4.1.5826

PIMENTA, S. Professor reflexivo: construindo uma crítica, In: Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito, SP: Cortez (3ª edição), p. 17- 52, 2005.

POMBO, O. Interdisciplinaridade: ambições e limites. Lisboa: Alêtheia, 2021.

PORTO, S.; PIACENTINI, V.; VIEIRA, R. O “Jardim de Ciência” como contexto de educação e investigação interdisciplinar: uma trajetória para o “Smart Knowlege Garden”. Revista Internacional de Pesquisa em Didática das Ciências e Matemática, v.4, e 023005, p. 1-19, 2023.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis- RJ, Vozes, 2004.

TAKEUCHI, M. A.; SENGUPTA, P.; SHANAHAN, M.; ADAMS, J.; HACHEM, M. Transdisciplinarity in STEM education: a critical review. Studies in Science Education, vol. 56, n.2, p. 213-253. 2020. DOI: https://doi.org/10.1080/03057267.2020.1755802

UNESCO. Ciência para o século XXI: um novo compromisso. Comissão Nacional da UNESCO: Lisboa, 1999.

UNESCO. Fórum Mundial da ciência. Comissão Nacional da UNESCO: Lisboa, 2017.

Downloads

Publicado

2023-04-27

Como Citar

CACHAPUZ, A. Educação em ciências: pensar o todo. Revista Internacional de Pesquisa em Didática das Ciências e Matemática, [S. l.], p. e023006, 2023. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/revin/article/view/933. Acesso em: 19 maio. 2024.