Ensino de Ciências para estudantes surdos

possibilidades e desafios

Autores

  • Ronaldo Santos Santana
  • Cássia Geciauskas Sofiato Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Ensino de Ciências. Educação científica. Surdos. Possibilidades. Desafios.

Resumo

Na literatura nacional e internacional, é incontestável a importância e as possibilidades do ensino
de Ciências para os estudantes surdos e ouvintes, pois os fenômenos estudados nessa área do
conhecimento fazem parte do cotidiano do aluno. Assim, debatê-los em sala de aula, com a
utilização de diversas metodologias, é imprescindível para a formação de cidadania, do
desenvolvimento intelectual e da autonomia dos discentes. No entanto, a literatura nacional
apresenta diversos desafios enfrentados ao ensinar Ciências para estudantes surdos. Deste modo,
o objetivo do presente estudo é identificar o que pesquisas relacionadas a essa temática apresentam
sobre possibilidades e desafios do ensino de Ciências para estudantes surdos. Este objetivo visa a
esclarecer o seguinte problema de pesquisa: quais são os pressupostos teóricos e metodológicos
do ensino de Ciências para estudantes surdos? As discussões realizadas trazem evidências de que
não há necessidade de ignorar todas as pesquisas do campo do ensino de Ciências, que tiveram
como sujeitos alunos ouvintes, quando se tratam de estudantes surdos. Há aspectos e referenciais
teóricos que podem ser aproveitados e também há particularidades da educação de surdos que
devem ser consideradas. Pesquisas devem ser realizadas para entender melhor esse fenômeno,
além de esforços para aproximar o que é recomendado nas pesquisas com o que acontece na
prática, visando melhorar o ensino de Ciências para todos os estudantes e torná-lo equitativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ronaldo Santos Santana

Graduado em Ciências Biológicas, Mestre em Ensino e História das Ciências e da Matemática (UFABC) e Doutorando em Educação (USP)

Cássia Geciauskas Sofiato, Universidade de São Paulo

Doutora, docente da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-graduação da Universidade de São Paulo

Referências

AIKENHEAD, G. S. Research into STS science education. Educación Química, v. 16, n. 3, p. 384-397, 2005.

ALVES, F. S.; CAMARGO, E. P. O atendimento educacional especializado e o ensino de física para pessoas surdas: uma abordagem qualitativa, Abakós, v. 2, p. 61-74, 2013

ANDERSON, R. D. Reforming Science Teaching: What Research says about Inquiry. Journal of Science Teacher Education, v. 13, n. 1, p. 1-12, 2002.

ANDRADE, G. T. B. Percursos históricos de ensinar Ciências através de atividades investigativas. Revista Ensaio, v. 13, n. 1, p. 121-137, 2011.

BARROW, L. H. A Brief History of Inquiry: From Dewey to Standards. Journal of Science Teacher Education, v. 17, n. 3, p. 265–278, 2006.

BRASIL, MEC. "PCN+ Ensino Médio." Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC, 1998.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares nacionais de Ciências Naturais: 1ª a 4ª Séries do Ensino Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRITO, L. O.; FIREMAN, E. C. Ensino de ciências por investigação: uma estratégia pedagógica para promoção da alfabetização científica nos primeiros anos do ensino fundamental. Revista Ensaio, v. 18, n. 1, p. 123-146, 2016.

BROWN, S.W. et al. Classroom of the Sea: Problem-based learning for the deaf. Proceedings of the International Conference on Computers in Education (ICCE’02), 2002.

CACHAPUZ, A., et al. A Necessária Renovação do Ensino de Ciências. São Paulo: Cortez, 2005.

CAMPOS, M. C. C.; NIGRO, R. G. Teoria e prática em Ciências na escola: o ensino aprendizagem como investigação: volume único. São Paulo: FTD, 2010.

CAPECCHI, M. C. V. M.; CARVALHO, A. M. P. Argumentação em uma aula de conhecimentos físico com crianças na faixa de oito a dez anos. Investigações em ensino de Ciências, v. 5, n. 3, p. 171-189, 2000.

CARVALHO, A. M. P. et al. Ensino de Ciências por investigação - condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

CHASSOT, A. I. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, v. 23, n. 22, p. 89-100, 2003.

DEBOER, G. E. Scientific literacy: Another look at its historical and contemporary meanings and its relationship to science education reform. Journal of research in science teaching, v. 37, n. 6, p. 582-601, 2000.

ELEFANT, E. F. Deaf children in an inquiry training program. Volta Review, v. 82, p. 271–279, 1980.

FABRI, F.; SILVEIRA, R. M. C. F. S. Alfabetização científica e tecnológica e o ensino de ciências nos anos iniciais: uma necessidade. Ciência & Ensino, v. 4, n. 1, p. 52-67, 2015.

FOUREZ, G. “Crise no Ensino de Ciências?” Investigações em Ensino de Ciências, v. 8, n. 2, p. 109-123, 2003.

HOFSTEIN, A.; LUNETTA, V. N. The laboratory in science education: foundations for the twentyfirst century. Science Education, v. 88, n. 1, p. 28–54, 2004.

KRASILCHIK, M. Reformas e realidade: o caso do ensino das ciências. São Paulo em Perspectiva, v. 14, n. 1, p. 85-93, 2000.

KRASILCHIK, M. O professor e o currículo de ciências no 1º grau. São Paulo: Atual, 1987.

KRASILCHIK, M. Prática de ensino de biologia. Edusp, 2004.

LABURÚ, C. E.; ARRUDA, S. M.; NARDI, R. Pluralismo metodológico no ensino de ciências. Ciência & Educação, p. 247-260, 2003.

LANG, H. G.; PROPP, G. Science education for hearing-impaired students: State of the art. American Annals of the Deaf, 128, p. 860-869, 1982.

LANG, H. Science for Deaf Students: Looking Into the Next Millennium. In: STEFANICH, G. P.; EGELSTON-DODDY, J. (Ed.). A Futures Agenda: Proceedings of a Working Conference on Science for Persons with Disabilities. Kansas City, Missouri, 1993.

LANG, H.G. Teaching Science. in: MOORES, D.F.; MARTIN, D.S. Deaf Learners: Developments in Curriculum and Instruction. Gallaudet University Press Washington, D.C, 2006.

LANG, H.G.; EGELSTON-DODD, J.; SACHS, M.C. Science Education for Hearing-Impaired Students in the Eighties: Priorities and Projections. American Annals of the Deaf, v. 128, n. 6, p. 801-808, 1983.

LANG, H.G.; STEELY, D. Web-based science instruction for deaf students: What research says to the teacher. Instructional Science, v. 31, no. 4/5, Special Issue: Innovation in Web-based Instruction: Issues of Interaction, Collaboration and Assessment, p. 277-298, 2003.

LORENZETTI, L.; DELIZOICOV, D. Alfabetização Científica no Contexto das Séries Iniciais. Ensaio - Pesquisa em Educação em Ciências, v. 03, n. 1, p. 37-50, 2001.

MACHADO, V. F.; SASSERON, L. H. As perguntas em aulas investigativas de Ciências: a construção teórica de categorias. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 12, n. 2, p. 29-44, 2012.

MANGRUBANG, F. R. Preparing Elementary Education Majors to Teach Science Using an Inquiry-Based Approach: The Full Option Science System. American Annals Of The Deaf, v. 149, n. 3, p.290-303, 2004.

MCINTOSH, R. A. et al. Making science accessible to deaf students: The need for science literacy and conceptual teaching. American annals of the deaf, v. 139, n. 5, p. 480-484, 1994.

MINNER, D.D.; LEVY, A. J.; CENTURY, J. Inquiry-Based Science Instruction—What Is It and Does It Matter? Results from a Research Synthesis Years 1984 to 2002. Journal of research in science teaching, v. 47, n. 4, p. 474–496, 2010.

MUNFORD, D.; LIMA, M. E. C. C. E. Ensinar Ciências por investigação: O que estamos de acordo? Ensaio. Pesquisa em Educação em Ciências, v. 9, n. 1, p. 72-89, 2007.

OVIGLI, D. F. B.; BERTUCCI, M. C. S. A formação para o ensino de Ciências Naturais nos currículos de Pedagogia das instituições públicas de ensino superior paulistas. Ciências & Cognição, v. 14, n. 2, p. 194-209, 2009.

PATALANO, F.L. Science Based Education for Students Who Are Deaf and/or Hard of Hearing. Dissertação (Mestrado em Educação) – Arcadia University, 2015.

ROALD, I. Norwegian deaf teachers' reflections on their science education: implications for instruction. Journal of Deaf Studies and Deaf Education, v. 7, n. 1, p. 57-73, 2002.

ROSA, C. W.; PEREZ, C. A. S.; DRUM, C. Ensino de Física nas séries iniciais: concepções da prática docente. Investigações em Ensino de Ciências, v. 12, n.3, p. 357-368, 2007.

SANTANA, R.S.; FRANZOLIN, F. As pesquisas em ensino de ciências por investigação nos anos iniciais: o estado da arte. Ensino em Re-Vista, v.23, n.2, p.504-521, 2016.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. Almejando a Alfabetização Científica no Ensino Fundamental: A proposição e a procura de indicadores do processo. Investigações em Ensino de Ciências, v. 13, n. 3, p. 333-352, 2008.

SCHROEDER, C. Uma proposta para inclusão da Física nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental. Experiências em Ensino de Ciências, v. 1, n. 1, p. 23-32, 2006.

SPENCER, T. S.; WALKER, T. M. Creating a Love for Science for Elementary Students through Inquiry-based Learning. Journal of Virginia Science Education, v. 4, n. 2, p. 18-25, 2011.

TRIVELATO, S. L. F.; TONIDANDEL, S. M. R. Ensino por investigação: eixos organizadores para sequências de ensino de Biologia. Revista Ensaio, v. 17, n.especial, p. 97-114, 2015.

VIECHENESKI, J. P.; LORENZETTI, L.; CARLETTO, M. R. Desafios e práticas para o ensino de Ciências e alfabetização científica nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Atos de Pesquisa em Educação, v. 7, n. 3, p. 853-876, 2012.

WANG, Y. Inquiry-based science in instruction and performance literacy for students who are deaf and hard of hearing. American Annals of the Deaf, v. 3, n.156, p. 239-254, 2011.

Downloads

Publicado

2017-09-28

Como Citar

SANTANA, R. S.; SOFIATO, C. G. Ensino de Ciências para estudantes surdos: possibilidades e desafios. Revista Internacional de Formação de Professores, Itapetininga, v. 2, n. 4, p. 37–54, 2017. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/rifp/article/view/705. Acesso em: 24 fev. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)