Transtorno opositor desafiador nos anos iniciais do ensino fundamental

alguns apontamentos

Autores

  • Maria Helena Sgargetta-Cardoso Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Gizeli Aparecida Ribeiro de Alencar Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Solange Franci Raimundo Yaegashi Universidade Estadual de Maringá - UEM

Palavras-chave:

Transtorno Opositor Desafiador. Ensino Fundamental Anos Iniciais. Diagnóstico. Práticas pedagógicas.

Resumo

Este estudo objetivou analisar os desafios didáticos-políticos-pedagógicos, com relação à inserção de alunos com Transtorno Opositor Desafiador (TOD) em sala de aula regular, nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Para tanto, respalda-se em análises de documentos referentes às políticas públicas sobre o tema, estudos realizados por pesquisadores da área e em entrevista semiestruturada realizada com uma professora e uma orientadora educacional que atuam com aluno com TOD. A categorização das respostas emitidas pelos sujeitos de pesquisa se efetivou por meio da Análise de Conteúdo, a compreender a fase de pré-análise, a exploração do material e o tratamento dos resultados. Os resultados evidenciaram que a inserção do TOD nas políticas públicas inclusivas é essencial, visto que os profissionais da educação ainda se sentem despreparados para lidar com essa especificidade em sala de aula, logo o aluno não tem suas necessidades atendidas por completo. Assim, são imprescindíveis novas pesquisas para propiciar maior perceptibilidade ao tema com vistas a melhor respaldar intervenções de práticas pedagógicas efetivas para o aluno com TOD.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Helena Sgargetta-Cardoso, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Especialista em Educação Especial e Transtorno Global do desenvolvimento e Artes - Técnicas e Procedimentos pelo Centro Universitário Metropolitano de Maringá (UNIFAMMA). Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). ORCID: https://orcid.org/0000-0002-1326-9418

Gizeli Aparecida Ribeiro de Alencar, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutora em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Docente do Mestrado em Educação Inclusiva (PROFEI) da Universidade Estadual de Maringá (UEM). ORCID: https://orcid.org/0000-0002-0436-6718

Solange Franci Raimundo Yaegashi, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Mestrado em Educação Inclusiva (PROFEI) da Universidade Estadual de Maringá (UEM). ORCID: https://orcid.org/0000-0002-7666-7253

Referências

AGOSTINI, V. L. M. L; SANTOS, W. D. V. dos. Transtorno Desafiador de Oposição e

suas comorbidades: um desafio da infância à adolescência. Psicologia. pt., Porto, Portugal, p. 1-30, 2018. Disponível em: https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A1175.pdf . Acesso em: 10 out. 2022.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION (APA). Manual Diagnóstico e Estatístico de

Transtornos Mentais: DSM-5. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BRAGA, J. C. F. et al. Trastorno desafiador opositor (TDO) considerando as relações

família/escola. Revista Contribuciones a las Ciencias Sociales, Málaga, Espanha, out. 2019.

Disponível em: https://www.eumed.net/rev/cccss/2019/10/trastorno-desafiador-opositor.html.

Acesso em: 05 dez. 2022.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil:

promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 05 nov. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei no

394 de 20 de dezembro de 1996. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 05 jan. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Educação Inclusiva: a

fundamentação filosófica / coordenação geral SEESP/MEC; organização Maria Salete Fábio

Aranha. Brasília: 2004. 28 p. 2004. Disponível em:

http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/fundamentacaofilosofica.pdf. Acesso: 20 fev.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de

Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: 2008a. Disponível

em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 21 nov. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018b. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/ Acesso em: 30 dez. 2022.

CAPONI, S. N. Dispositivos de segurança, psiquiatria e prevenção da criminalidade: o

TOD e a noção de criança perigosa. Saúde e Sociedade. São Paulo, v. 27, n. 2, p. 298-

, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/sausoc/v27n2/1984-0470-sausoc-27-02-

pdf. Acesso em: 05 dez. 2022.

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS (DUDH). Assembleia Geral das Nações Unidas em Paris. 10 dez. 1948. Disponível em: http://www.ouvidoria.defensoriapublica.pr.gov.br/arquivos/File/Legislacao/declaracao.pdf . Acesso em: 25 out. 2022.

DECLARAÇÃO DE JOMTIEN. Plano de ação para satisfazer as necessidades básicas

de aprendizagem. Aprovada pela Conferência Mundial sobre Educação para Todos.

Jomtien, Tailândia - 5 a 9 de março de 1990. Disponível em:

https://www.unicef.org/brazil/declaracao-mundial-sobre-educacao-para-todos-conferencia-

de-jomtien-1990. Acesso em: 23 out. 2022.

DECLARAÇÃO DE SALAMANCA. Sobre princípios, política e práticas na área das

necessidades educativas especiais. Salamanca, Espanha, 10 de junho de 1994.

Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf. Acesso em: 06

fev. 2022.

DECLARAÇÃO DE GUATEMALA. Convenção interamericana para a eliminação de

todas as formas de discriminação contra as pessoas portadoras de deficiência.

Aprovado pelo Conselho Permanente da OEA, na sessão realizada em 26 de maio de 1999.

Promulgada no Brasil pelo Decreto nº 3.956, de 8 de outubro de 2001. Disponível em:

http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/guatemala.pdf. Acesso em: 06 fev. 2022.

GREVET, E. H. et al. Transtorno de oposição e desafio e transtorno de conduta:

os desfechos no TDAH em adultos. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v.56, supl 1, p. 34-38, 2007. Disponível

em: https://www.scielo.br/j/jbpsiq/a/r6ch5vnP8pYZVMCMR3ST4QM/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 05 dez. 2022.

MONTEIRO, F. M. M; MELO, L. L. M. de. Transtorno Opositor Desafiador e processo de

ensino aprendizagem: um grande desafio. In: Congresso Brasileiro sobre 18 Letramento

e Dificuldades de Aprendizagem, 2, 2018, Campina Grande. Anais II CONBRALE. Campina

Grande: Realize, 2018, s/p. Disponível em:

https://editorarealize.com.br/artigo/visualizar/43615. Acesso em: 19 out. 2022.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. ICD-11 Reference Guide. Genebra: OMS, 2019. Disponível em inglês em: https://icd.who.int/browse11/l-m/en. Acesso em 27 dez. 2022.

PARANÁ. Instrução nº 016/2011 – SEED/SUED. Estabelece critérios para o atendimento

educacional especializado em Sala de Recursos Multifuncional Tipo I, na Educação Básica –

área da deficiência intelectual, deficiência física neuromotora, transtornos globais do

desenvolvimento e transtornos funcionais específicos. Secretaria de Estado da Educação.

Superintendência da Educação. Curitiba: 2011. Disponível em:

http://www.educacao.pr.gov.br/sites/default/arquivos_restritos/files/documento/2020-

/Instrucao162011.pdf. Acesso em: 21 nov. 2012.

PAULO, M. M. de; RONDINA, R. C. Os principais fatores que contribuem para o

aparecimento e evolução do Transtorno Desafiador Opositor (TDO). Revista Científica

Eletrônica de Psicologia, Garça, n. 14, s/p, mai. 2010. Disponível em:

https://repositorio.unesp.br/handle/11449/115154. Acesso em: 10 dez. 2022.

RODRIGUES, A. P. N; LIMA, C. A. de. A história da pessoa com deficiência e da

educação especial em tempos de inclusão. Revista Interritórios, Caruaru, v. 3, n. 5, p. 21-

, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/interritorios/article/view/234432.

Acesso em: 05 mar. 2022.

SERRA-PENHEIRO, M. A. et al. Transtorno desafiador de oposição: uma revisão de

correlatos neurobiológicos e ambientais, comorbidades, tratamento e prognóstico.

Revista Brasileira de Psiquiatria, São Paulo, v. 26, n. 4, p. 273-276, 2004. Disponível em:

https://www.scielo.br/pdf/rbp/v26n4/a13v26n4.pdf. Acesso em: 22 out. 2022.

SILVA, T. C. G. da. Transtorno Opositor Desafiador - como enfrentar o TOD na escola.

Monografia (pós-graduação lato sensu) – especialização em Educação Especial e

Inclusiva - Universidade Candido Mendes. Rio de Janeiro, p.48. 2017. Disponível em:

https://www.avm.edu.br/docpdf/monografias_publicadas/posdistancia/53309.pdf. Acesso em:

dez. 2022.

TEIXEIRA, G. O Reizinho da Casa: manual para pais de crianças opositoras,

desafiadoras e desobediente. 1 ed. Rio de Janeiro: Best Seller, 2014.

YAEGASHI, S. F. R.; CAETANO, L. M.; BATISTA, T. L. A.; PEIXOTO, J. P. O Atendimento Educacional Especializado no contexto da Educação Infantil: um estudo sobre a inclusão escolar de alunos com Transtorno do Espectro Autista. A Revista Interinstitucional Artes de Educar – RIAE, Rio de Janeiro, v.8, n.3, p.774 – 796, 2022. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/riae/article/view/69643/44072. Acesso em: 30 dez. 2022.

YAEGASHI, J. G. A responsabilidade civil como instrumento de tutela da personalidade em face do bullying e cyberbullying escolar. Orientador: Cleber Sanfelici Otero. 2023. 186f. Dissertação (Mestrado em Ciências Jurídicas) – Universidade Cesumar (UNICESUMAR), Maringá, 2023.

Downloads

Publicado

2022-12-21

Como Citar

SGARGETTA-CARDOSO, M. H.; ALENCAR, G. A. R. de; YAEGASHI, S. F. R. Transtorno opositor desafiador nos anos iniciais do ensino fundamental: alguns apontamentos. Revista Internacional de Formação de Professores, Itapetininga, v. 7, p. e022016, 2022. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/rifp/article/view/815. Acesso em: 18 jun. 2024.