Formação docente para Educação do Campo

as habilitações em Ciências da Natureza e Matemática

Autores

  • Daniel Fernando Bovolenta Ovigli Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Ariane Baffa Lourenço niversidade Federal da Grande Dourados
  • Pedro Donizete Colombo Junior Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Palavras-chave:

Educação do campo, formação de professores, educação em ciências, educação matemática.

Resumo

A formação de professores para educação do campo configura-se como política pública que tomou corpo desde a última década no Brasil, especialmente após o estabelecimento das diretrizes operacionais para a educação básica do campo. Em 2006, as primeiras ofertas de cursos de graduação em educação do campo com habilitações em Ciências da Natureza e Matemática ocorreram em quatro diferentes estados do país, em regiões que historicamente apresentavam número insuficiente de professores para atender à demanda. Um edital divulgado pelo Ministério da Educação em 2012 conclamou universidades públicas para a apresentação de propostas para novos cursos, mostrando demandas e potencialidades para o oferecimento. Considerando que são recentes, há um número limitado de produções acadêmicas sobre estes cursos. Dada a situação descrita, este artigo apresenta um estudo sobre características e referenciais teóricos que orientam a formação de professores no curso de Licenciatura em Educação do Campo - habilitações em Ciências da Natureza e Matemática - oferecidos por instituições públicas federais brasileiras beneficiadas pelo edital de 2012. O material empírico foi construído a partir de revisão da literatura e análise de projetos pedagógicos, eletronicamente disponíveis, relativos aos cursos de graduação
em questão. Destaque-se que 42 propostas foram aprovadas pelo edital em tela e incluem instituições de ensino superior localizadas em todos os estados da federação, exceto São Paulo. Por fim, buscamos prestar contribuições à formulação de políticas públicas tendo em vista um sistema educacional que atenda às necessidades dos estudantes deste curso, para a construção de uma efetiva educação no/do campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Fernando Bovolenta Ovigli, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Doutor, pesquisador do Instituto de Ciências Exatas, Naturais e Educação da Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Ariane Baffa Lourenço, niversidade Federal da Grande Dourados

Doutora, pesquisadora da Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia da Universidade Federal da Grande Dourados

Pedro Donizete Colombo Junior, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Doutor, pesquisador do Instituto de Ciências Exatas, Naturais e Educação da Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Referências

ANTUNES-ROCHA, M. I. Licenciatura em Educação do Campo: histórico e projeto político-pedagógico. In: Antunes-Rocha, M. I.; Martins, A. A. Educação do Campo: desafios para a formação de professores. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. p. 39-57.

ANTUNES-ROCHA, M. I. et al. Formação de trabalho docente na escola do campo: protagonismo e identidade em construção. In: Molina, M.S. (Org.). Educação do Campo e pesquisa II. Brasília: MDA/MEC, 65-73. 2009.

ARROYO, M. G.; Fernandes, B. M. A educação básica e o movimento social do campo. São Paulo: Peres. 1999.

BRASIL. Ministério de Educação. Diretrizes operacionais para a educação básica nas escolas do campo. Brasília, DF: MEC, 2002.

______. Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária – PRONERA. Manual de operações. Edição Revista e Atualizada Brasília (Aprovado pela Portaria/INCRA/P/Nº 282, de 26 Abril de 2004). Brasília DF: MEC, 2004.

______. MEC/INEP. PNERA 2004: sinopse estatística da pesquisa nacional da educação na reforma agrária. Brasília DF: MEC, 2007.

______. Ministério da Educação. Plano Nacional de Formação dos Profissionais da Educação do Campo. Brasília, DF: MEC, 2009, 35p.

______. MEC/INEP. Censo Escolar da Educação Básica de 2012: dados preliminares. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/basica-censo. Acesso em 2 out. 2012.

BRASIL. Departamento Intersindical de estatística e Estudos Socioeconômicos/ Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural. Estatísticas do Meio Rural – 2010-2011. 2012. Disponível em:<http://www.dieese.org.br/anu/anuarioRural/anuarioRural10-11.pdf>. Acesso em: 14 out. 2014.

LIMA, M. E. C. C.; PAULA, H. F.; SANTOS, M. B. L. Ciências da vida e da natureza no curso de Licenciatura em Educação do Campo – UFMG. In: ANTUNES-ROCHA, M.I.I.; MARTINS, A. A. (Orgs.). Educação do Campo: desafios para a formação de professores. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. p. 107-118.

SÁ, L. M. e MOLINA, M, C. Educação Superior do Campo: contribuições para a formação crítica dos profissionais das Ciências Agrárias. In: MOLINA, M, C et al (Orgs). Práticas contra-hegemônicas na formação dos profissionais das Ciências Agrárias: reflexões sobre Agroecologia e Educação do Campo nos cursos do Pronera. Brasília: MDA/MEC. 2014.

OLIVEIRA, I.S.; LIMA, M.J.T.; LIMA, C.M.T.; ALELUIA, J.M. Construção do conhecimento científico dos professores pertencentes ao campo sergipano: uma experiência de licenciatura inovadora In. MOLINA, M.C. (Org.). Educação do Campo e pesquisa II. Brasília: MDA/MEC. 2010.

OLIVEIRA, M.C.P. Educação do campo: concepção, contribuições e contradições. Revista Espaço Acadêmico. N. 140. Janeiro de 2013. Disponível em<http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/18301/10263>. Acesso em

set.2015.

PIO, J. M. Apropriação da escrita no contexto da formação de professores de ciências na educação do campo. 98 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais: Belo Horizonte. 2011.

PISTRAK, M. M. Fundamentos da escola do Trabalho. São Paulo: Ed. Expressão Popular, 2003.

RIBEIRO, M. Educação Rural. In: CALDART, R. S.; PEREIRA, I. B.; ALENTEJANO, P. E FRIGOTTO, G. (Orgs.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular. 2012.

ROMANOWSKI, J.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo "estado da arte" em educação. Diálogo Educacional (PUCPR), v. 6, p. 37-50, 2006.

Downloads

Publicado

2016-08-01

Como Citar

OVIGLI, D. F. B.; LOURENÇO, A. B.; COLOMBO JUNIOR, P. D. Formação docente para Educação do Campo: as habilitações em Ciências da Natureza e Matemática. Revista Internacional de Formação de Professores, Itapetininga, v. 1, n. 3, p. 80–92, 2016. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/rifp/article/view/1393. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.