Percepções de estudantes de Pedagogia sobre a temática saúde como conteúdo contemporâneo transversal nas séries iniciais do Ensino Fundamental

Autores

  • Queli Ghilardi Cancian UNIOESTE/Brasil; CEIEB-IPB/ Portugal
  • Vitor Gonçalvez Centro de Investigação em Educação Básica (CIEB) do Instituto Politécnico de Bragança (IPB)
  • José António Moreira Universidade Aberta (Uab)

Palavras-chave:

Educação, Saúde, Saberes docentes

Resumo

O professor pedagogo é, pela natureza de sua atividade, um professor que assume cada vez mais um papel ativo no processo de ensino e de aprendizagem. Neste contexto polivalente, dentre os conteúdos ministrados nas séries iniciais estão também conteúdos orientados para a educação e a saúde. A partir desta constatação, o presente estudo teve como objetivo investigar as percepções dos estudantes de Pedagogia sobre o tema contemporâneo transversal saúde e a educação nas séries iniciais do Ensino Fundamental. Trata-se de uma pesquisa de campo com uma abordagem qualitativa, exploratória e descritiva. Participaram da pesquisa vinte estudantes do curso de pedagogia de duas Instituições de Ensino Superior da região Oeste do Paraná, Brasil. Os resultados revelam que a maioria dos respondentes acredita na não dissociação entre saúde e educação, porém cerca de metade dos respondentes acreditam não estar preparados para ministrar atividades neste domínio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Queli Ghilardi Cancian, UNIOESTE/Brasil; CEIEB-IPB/ Portugal

Graduação em Processos Gerenciais pelo Centro de Ensino Superior de Maringá (2011), Bacharela em Educação Física pelo Centro Universitário Assis Gurgacz (2018), Licenciada em Educação Física pelo Centro Universitário Assis Gurgacz (2016), graduação em Pedagogia pelo Centro Universitário Assis Gurgacz (2022) e mestrado em Educação pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2020). Doutoranda e pesquisadora em Educação pela Universidade do Oeste do Paraná (2021). Estágio doutoral (doutorado sandwich -PDSE), pelo Centro de Investigação em Educação Básica (CIEB) no Instituto Politécnico de Bragança, Portugal (2024). Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento motor, qualidade de vida, educação e saúde, ensino de ciências, trabalho docente, formação de professores, processo ensino aprendizagem e educação física.Professora no Curso de Pedagogia e na Pós-graduação lato sensu no ensino de ciências. Membro do conselho editorial das resista Revin; RIFP e RIBIC. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-6135-1432

 

Vitor Gonçalvez, Centro de Investigação em Educação Básica (CIEB) do Instituto Politécnico de Bragança (IPB)

É doutorado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores (2007), mestre em Tecnologia Multimédia (2002) pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e licenciado em Informática de Gestão (1998) pela Universidade do Minho. Atualmente é investigador do Centro de Investigação em Educação Básica (CIEB-IPB-Portugal), onde é sub-coordenador. É também membro colaborador do grupo de investigação da Universidade de Salamanca EDUDIG-USAL-Espanha, CI-ISCE-Portugal, GPITIC-Brasil e GPISEC-Brasil. Foi coordenador do Gabinete de Relações Internacionais da ESE-IPB (incoming) de 2018 a 2022. É diretor da revista científica adolesCiência desde 2011. Recebeu 12 prémios e/ou menções honrosas. Publicou 10 capítulos de livros, editou 30 atas ou revistas e 2 livros, e publicou mais de 150 artigos em actas de conferências e revistas científicas (30 indexados na Scopus ou WoS). Entre outros, tem participado em projectos nacionais e internacionais: responsável do IPB no Projeto Catraios (2001-2003) disponível de 2001 a 2018; membro do IPB no projeto Ciência Bragança (2011-13); membro dos projectos ERASMUS: INTACT (2012-15); INTEGRA(-TE) (2016-18); Poli Entrepreneurship Innovation Network (2016-2018); QuILL (2021-23); SocialNEET (2018-2022); e Coop4Int (2023-2024). E ainda coordenador da equipa do IPB nos projetos ERASMUS: AduLeT (2016-19); CTwoSEAS (2019-22) e IM-PRO-IN-DE (2023-2025); e agora coordenador dos projectos HACK-IT (2022-25) e DISmode (2023-2025). De 2008 a 2018 foi membro do Gabinete de Empreendedorismo do IPB e coordenador do Núcleo de Administração e Desenvolvimento de Aplicações. Atualmente é membro da equipa de Inovação da Formação do IPB. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-0645-6776

José António Moreira, Universidade Aberta (Uab)

José António Moreira é doutorado e mestre em Ciências da Educação pela Universidade de Coimbra. É licenciado em História da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. É Professor Associado com Agregação no Departamento de Educação e Ensino a Distância. É Coordenador Estrangeiro do Grupo de Pesquisa em Educação Digital da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS-Brasil). É Professor nos programas de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade e Gestão da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Brasil e Professor Convidado no Curso de Especialização em Educação e Tecnologias da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) . É investigador titular do Centro de Estudos Interdisciplinares (CEIS20) da Universidade de Coimbra onde coordena o Centro de Estudos de Pedagogia do Ensino Superior e investigador do Centro de Estudos Globais da Universidade Aberta (Portugal). Colaborador da Direção Geral (DGE) do Ministério da Educação português no Plano de Transição Digital. Atualmente coordena o Curso de Ensino Digital em Rede para Professores do Ensino Superior da Universidade Aberta. Colaborador do Ministério da Educação no Plano de Transição Digital em Portugal. Coordenador do projeto Educação a Distância e eLearning nos Estabelecimentos Prisionais em Portugal e responsável pela conceção e criação do Campus Virtual para a população prisional portuguesa (http://educonlinepris.uab.pt/). Publicou em revistas especializadas (123 artigos) e livros (40 autores/coordenador) nas áreas de Formação de Professores e Tecnologias Digitais e participou em eventos no estrangeiro e em Portugal como keynote speaker. Áreas de especialização: Formação de Professores; Educação Digital; Educação Híbrida; e-Learning; Aprendizado híbrido. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-0147-0592

Referências

ALVES, M. M. dos S; ALMEIDA, L. A. Guia de Oficinas Pedagógicas Tema Transversal Saúde. Grupo de Pesquisa Alfabetização Científica e o Ensino de Física, Química e Biologia na Educação Básica. Universidade do Estado do Rio de Janeiro. EduCAPES. Rio de Janeiro-RJ. 2019, 58 p. Disponível em: https://educapes.capes.gov.br/handle/capes/564728. Acesso em: 18 jun. 2024.

BARDIN, L. Análise do conteúdo. Tradução Luís Antero Reto, Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2016.

BOTELHO, G. R. Temas transversais, um assunto contemporâneo?. Anais do XV Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade, UFS, Aracaju, 2021. Disponível em: https://ri.ufs.br/handle/riufs/16578. Acesso em: 10 dez. 2023.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Atualizada até a EC n. 105/2019. [Brasília-DF]. 1988. Disponível em: https://www.stf.jus.br/arquivo/cms/legislacaoConstituicao/anexo/CF.pdf. Acesso: em 27 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. CNE. Resolução n.º7 de dezembro de 2010. Fixa Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental de 9 (nove) anos. [Brasília-DF]. 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/receb007_10.pdf. Acesso em: 16 jun. 2024

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Ministério da Educação. Conselho Nacional da Educação. [Brasília-DF]. 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 04 mar.2021.

BRASIL. Temas contemporâneos transversais na BNCC: Contexto histórico e pressupostos pedagógicos. Ministério da Educação. [Brasília-DF]. 2019, 20p.

BRASIL. Caderno Saúde. Série Temas Contemporâneos Transversais Base Nacional Comum Curricular (BNCC) – Saúde, Educação alimentar e nutricional. Base Comum Curricular, Ministério da Educação. [Brasília-DF]. 2022. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/implementacao/cadernos_tematicos/caderno_saude_consolidado_20102022.pdf. Acesso em: 20 de dezembro de 2023.

BRASIL. 8ª conferência Nacional de saúde, relatório final. Ministério da Saúde 17-21 de março de 1986. Saúde. Gov. [Brasília-DF]. 1986 Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/8_conferencia_nacional_saude_relatorio_final.pdf. Acesso em: 08 Jul. 2020.

FALKENBERG, M. B. et al. Educação em saúde e educação na saúde: conceitos e implicações para a saúde coletiva. Ciência & saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, p. 847-852, 2014.

MACEDO, E. F. Os temas transversais nos parâmetros curriculares nacionais. Química Nova na Escola, São Paulo. n. 8, 1988.

OLIVEIRA FILHO, A. ZÔMPERO, J. P. de F.; SANTOS, M. L. dos. A Temática Saúde na Perspectiva dos Parâmetros Curriculares Nacionais e Base Nacional Comum Curricular. Revista de Ensino, Educação e Ciências Humanas, 2020, v. 21, n.4, p. 430-436, 2020.

WHO. The WHOQOL Group. The World Health Organization quality of life assessment (WHOQOL): position paper from the World Health Organization. Soc Sci Med 1995; 41:1403-10.

Downloads

Publicado

2024-07-04

Como Citar

GHILARDI CANCIAN, Q.; GONÇALVEZ, V.; MOREIRA, J. A. Percepções de estudantes de Pedagogia sobre a temática saúde como conteúdo contemporâneo transversal nas séries iniciais do Ensino Fundamental. Revista Internacional de Formação de Professores, Itapetininga, p. e024010, 2024. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/rifp/article/view/1734. Acesso em: 25 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.