O que pode a Didática?

Reflexões em torno do convite à aprendizagem

Autores

  • Maria Amélia Santoro Franco Universidade Católica de Santos

Palavras-chave:

Didática. Pedagogia. prática docente.

Resumo

O presente artigo, tecido de forma ensaística, pretende responder à seguinte questão: o que pode a Didática nos tempos atuais? E mais que isso: como a Didática pode dar sentido às atividades docentes concretizadas no espaço/tempo de estar em aula? Realça as articulações entre Didática e Pedagogia, num processo articulado pelas práticas pedagógicas, explorando as contradições do convite à aprendizagem como um dos pilares fundamentais da prática Didática. Conclui considerando que a Didática, como Teoria de Ensino, valorizará a compreensão de que não há ensino fora do sujeito que interpreta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Amélia Santoro Franco, Universidade Católica de Santos

Professora/pesquisadora Universidade Católica de Santos. Pesquisadora CNPq. Doutora em Educação. Pós-doutora em pedagogia. ORCID: http://orcid.org/0000-0003-3867-5452

Referências

BOUDINET Gilles, Deleuze et l’anti-pédagogie: vers une esthétique de l’éducation, Paris: L’Harmattan, 2012.

CARR, Wilfred. Una teoría para la educación: hacia una investigación educativa crítica. Madrid: Morata, 1996.

CORAZZA, Sandra. O Sonho da Docência: Fantástico Tear. Pro-Posições | Campinas, SP | V. 32 | p.05-24. 2021.

DELEUZE, Gilles. Diferença e Repetição. 2a ed. Rio de Janeiro: Graal, 2006.

DELEUZE, Gilles. Proust e os Signos. 2a ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

FRANCO, M. A. R. S. Por uma didática decolonial: epistemologia e contradições. In: Educação e Pesquisa. 2022.

FRANCO, M. A. R. S. Práticas pedagógicas de acolhimento e inclusão: a perspectiva da Pedagogia Crítica. In: Revista Online de Política e Gestão Educacional. 2017.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. A Pedagogia como ciência da educação: entre epistemologia e prática. Tese de doutoramento. USP. São Paulo. 2001

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Fragmentos de uma conversa. Revista Eletrônica Pesquiseduca – p.274- 281 - v. 03, n. 06 - jul. –dez. 2011

FREIRE, P. Professora sim tia não: cartas a quem ousa ensinar. 2e. São Paulo: Olho D´Água, 1993.

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação – uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. 3ª edição. São Paulo: Cortez & Moraes, 1980.

HEIDEGGER, Martin. Que é uma coisa? Tradução de Carlos Morujão. Lisboa: 70, 1987(1950, no original)

KINCHELOE, Joe. A formação do professor como compromisso político: mapeando o pós-moderno. Art Médicas. Porto Alegre. 1997.

LISPECTOR, Clarice. Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

LUKÁCS, György. Existencialismo ou marxismo. São Paulo: Senzala, 1967.

SACRISTÁN, J. Gimeno. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SKLIAR, Carlos: A educação e a pergunta pelos Outros. Ponto de Vista, Florianópolis, n.05, p. 37-49, 2003.

Downloads

Publicado

2023-07-18

Como Citar

FRANCO, M. A. S. O que pode a Didática? Reflexões em torno do convite à aprendizagem. Revista Internacional de Formação de Professores, Itapetininga, v. 8, p. e023014, 2023. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/rifp/article/view/1133. Acesso em: 18 jun. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)