A pesquisa-formação como ato de re-existência docente antes e durante a pandemia

Autores

  • Carlos Henrique Andrade de Sousa Universidade Estadual do Ceará
  • Elcimar Simão Martins Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)

Palavras-chave:

Formação docente. Atos de re-existência. Pesquisa-formação. Abordagem Qualitativa.

Resumo

Esse artigo busca analisar a pesquisa-formação através da abordagem qualitativa em duas pesquisas distintas e relacioná-la com os chamados atos de re-existência, explicitando como esse processo se consolidou durante a pandemia. Essa proposta se baseia nos estudos de Macedo (2007); Behrens (2007); Paim (2012); Martins (2014). Os atos de re-existência visam promover momentos que comportem as subjetividades de cada professor possibilitando a expansão da sua inventividade e criatividade para que o docente possa partilhar entre seus pares novas oportunidades para que sejam eles os definidores de uma autoformação, que visa resistir a uma padronização proposta para a formação docente atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Henrique Andrade de Sousa, Universidade Estadual do Ceará

Mestre em Ensino e Formação Docente. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará – Campus Mombaça. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-3847-5293 

Elcimar Simão Martins, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)

Doutor em Educação. Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira.

ORCID: http://orcid.org/0000-0002-5858-5705

Referências

ALVARADO PRADA, Luís Eduardo. Formação participativa de docentes em serviço. Tautabé: Cabral. Editora Universitária Ltda., 1997.

AMORIM, Marília. Para uma filosofia do ato: “válido e inserido no contexto”. In: BRAIT, Beth. (Org.). Bakhtin: dialogismo e polifonia. São Paulo: Contexto, 2009. p. 34-67.

ANADÓN, Marta. A pesquisa dita “qualitativa”: sua cultura e seus questionamentos. Senhor do Bomfim, BA: UNEB/UQAC, 2005.

BEHRENS, Marilda Aparecida. O paradigma da complexidade na formação e no desenvolvimento profissional de professores universitários. Educação. Porto Alegre/RS, ano XXX, n. 3 (63), p. 439-455, set./dez. 2007.

CASTORIADIS, Cornelius. A instituição imaginária da sociedade. Tradução de Guy Reinaud. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

DELEUZE, Gilles. Foucault. São Paulo: Brasiliense, 2006.

GARFINKEL, Harold. Studies in ethnomethodologie. New Jersey: Printice Hall, 1976.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. Trad. José Claudino e Júlia Ferreira. São Paulo: Cortez, 2004.

LIBÂNEO, José Carlos. Reflexividade e formação de professores: outra oscilação no pensamento pedagógico brasileiro? In: PIMENTA, S. G. e GHEDIN, E. (Orgs.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002. p. 53-80.

MACEDO, Roberto Sidnei. Currículo, diversidade e equidade: luzes para uma educação intercrítica. Salvador: EDUFBA, 2007.

MACEDO, Roberto Sidnei. Avaliação na formação como atos de currículo: compreendendo e acompanhando sujeitos em aprendizagem formativa. In: EPENN: Educação, Direitos Humanos E Inclusão Social, 19., 2009. João Pessoa. Anais... João Pessoa, 2009. p. 1-11.

MACEDO, Roberto Sidnei. Implicação, autorização e standardização curricular: a formação de professores como re-existência. Revista e-Curriculum, São Paulo, v.13, n.04, p. 733 - 750 out./dez. 2015.

MARTINS, Elcimar Simão. Formação contínua e práticas de leitura: o olhar do professor dos anos finais do ensino fundamental / Tese (doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira, Fortaleza, 2014.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 1996.

NÓVOA, Antônio. Os Professores e a sua Formação num Tempo de Metamorfose da Escola. Educação & Amp; Realidade, 44, 3, Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/84910 Acesso em: 28 ago. 2022.

OLIVEIRA, Zélia Maria Freire ‘Criativar’ a formação e a atuação do professor: uma necessidade no século XXI. Anais... X Congresso Nacional de Educação EDUCERE. Curitiba, 2011.

PAIM, Ana Verena Freitas. A re-existência enquanto ato de currículo no contexto da formação de professores. Currículos e processos formativos: experiências, saberes e cultura. Salvador: EDUFBA, 2012. p. 61-76.

REIS, Marlene Barbosa de Freitas. Política pública, diversidade e formação docente: uma interface possível. 2013. 278 f. Tese (Doutorado em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento) Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento, Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

SOUSA, Carlos Henrique Andrade de. A formação continuada dos professores de língua estrangeira do Centro Cearense de Idiomas: interações, convergências e conflitos / Dissertação (mestrado) – Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, Programa de Pós-Graduação em Ensino e Formação Docente Redenção, 2021.

Downloads

Publicado

2023-06-29

Como Citar

ANDRADE DE SOUSA, C. H.; SIMÃO MARTINS, E. A pesquisa-formação como ato de re-existência docente antes e durante a pandemia. Revista Internacional de Formação de Professores, Itapetininga, v. 8, p. e023007, 2023. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/rifp/article/view/959. Acesso em: 23 fev. 2024.