Avaliação no ensino superior

a influência do sexo na avaliação na formação inicial de professores

Autores

  • Elsa Ribeiro da Silva Universidade de Coimbra

Palavras-chave:

Ensino Superior. Avaliação. Género. Formação Inicial de professores.

Resumo

Este estudo exploratório, partiu da constatação da inversão de valores entre as notas de acesso à
unidade curricular de Estágio Pedagógico, dos professores-estagiários do sexo masculino e do
feminino e a respetivas notas finais, e tenta compreender/identificar, através da perspetiva dos
estagiários relativamente ao experienciado na unidade curricular, razões para aquela inversão.
Construímos um questionário com quatro grupos de questões que aplicámos a 106 professoresestagiários. Conciliámos uma metodologia quantitativa no tratamento das questões fechadas
traduzida em técnicas de estatística descritiva, com uma metodologia qualitativa de análise de
conteúdo das questões abertas e semiabertas. Nestas usámos um processo de categorização por
critério semântico, com dimensões previamente definidas e coincidentes com as grandes questões
colocadas, mas sem categorias constituídas à partida, tendo sido seguido um processo de discussão
entre pares para a validação daquelas categorias e para a codificação dos respetivos segmentos de
registo. Os resultados não suportam nem justificam a prevalência de qualquer dos sexos na
avaliação final do Estágio, não se justificando a maior valoração do sexo masculino que despoletou
este estudo, reforçando-se a pertinência do prosseguimento de validação do questionário
construído, assim como do estudo de problemáticas relativas ao sexo do aluno e sexo do avaliador
versus a avaliação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elsa Ribeiro da Silva, Universidade de Coimbra

Doutora em Ciências da Educação Física pela Universidade de Coimbra (Portugal) - Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, coordenadora do Mestrado em Ensino de Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário.

Referências

ALVES, P. Inovar a avaliação: profusão discursiva ou processo de inovação endógeno?. In:

PACHECO, A., MORGADO, J., MOREIRA, A. (org.) Globalização e (Des)igualdades: desafios

contemporâneos. ed. Porto: Porto Editora, 2007, p. 95-102.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa. Edições 70, 1979. p. 95-102

BATISTA P., LEITE QUEIRÓS, P. O Estágio profissional enquanto espaço de formação

profissional. Porto: Editora FADEUP, 2013

BONAR, X. Las actitudes del profesorado ante la coeducación. Barcelona: Graó, 1997

COLÁS, P, JIMÉNEZ, R. Tipos de conciencia de género del profesorado en los contextos escolares.

Revista de Educación – Ministerio de Educación, Cultura y Deporte, Madrid, n. 340, p.415-444,

may./ago. 2006.

DE KETELE, J.M.. À la recherche de paradigmes unificateurs ou de paradigms intégrateurs? In : L.

MOTTIER LOPEZ, G. FIGARI (Eds) Modélisations de l'évaluation en éducation.

Questionnements épistémologiques. ed. Bruxelles: De Boeck, 2012, p. 195-210.

FERNANDEZ, M.L. Los estereotipos de género en las clases de Educación Física en nivel medio.

Tesis de licenciatura en Gestión de Instituciones Educativas. Universidad Abierta Interamericana.

p. 91.

HADJI, C. A Avaliação, regras do jogo, das intenções aos instrumentos. Porto: Porto Editora,

HORTIGÜEGA-ALCALÁ, D., PÉREZ-PUEYO, A., LÓPEZ- PASTOR, V. Implicación y

regularización del trabajo del alumnado en los sistemas de evaluación formativa en educación

superior. RELIEVE, Valencia, n. 21, 2015.

JORDÁN, O. La autonomía e iniciativa personal: estrategias didácticas y diseño curricular. In:

Jordán, O., Campos, R. Las Competencias básicas desde la Educación Física, Barcelona: INDE,

, p.39.

GARGALLO, B., SÁNCHEZ, F., ROS, C., FERRERAS, A. Estilos docentes de los profesores

universitarios. La percepción de los alumnos de los buenos profesores. Revista Iberoamericana de

Educación, n. 51, may. 2010

GOMES, R. As Teorias Implícitas da Personalidade e os Comportamentos de Ensino. Boletim

Sociedade Portuguesa de Educação Física, n. 1, 1991, pp 41-74.

GUTIÉRREZ-GARCIA, C., PÉREZ-PUEYO, Á., PÉREZ-GUTIÉRREZ, M. Precepciones de

Profesores, Alumnos y Egresados Sobre los Sistemas de Evaluación en Estudios Universitarios de

Formación del profesorado de Educación Física. Ágora para la Educación Física y el Deporte, n.15

(2), 2013, p.130-151.

MARTEL, A. Intervenciones educativas en favor de niñas y mujeres brillantes. In: Ellis, J.,

Willinsky, J. (Ed.). Niñas, mujeres y superdotación. Un desafío a la discriminación educativa de

las mujeres, Madrid: Narcea, 1999, pp. 79-97.

NOIZET, G., CAVERNI, J.P. Psicologia da Avaliação Escolar. Coimbra: Coimbra Editora, 1985

RIBEIRO DA SILVA, E. Formação Inicial de Professores – Avaliação do Modelo de Estágio

Pedagógico em Educação Física no Ensino Superior Universitário. Tese de Doutoramento,

Coimbra: Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra, 2013

RIBEIRO DA SILVA, E. O Modelo de Estágio Pedagógico em Educação Física: pontos fortes

percebidos por professores-estagiários e orientadores. In: Formação Inicial de Professores –

Reflexão e Investigação da Prática Profissional, Porto: Editora Educar, UP, 2014, pp. 127-144

REBOLLO CATALÁN, Mª A., GARCÍA PÉREZ, R., PIEDRA, J., VEGA, L. Diagnóstico de la

cultura de género en educación: actitudes del profesorado hacia la igualdad. Revista de Educación,

n. 355, pp.521-546, may./ago. 2011.

HELLÍN, P., MORENO, J. A., RODRÍGUEZ, P. L. Influencia social del género y de la percepción

de competencia en la valoración de las clases de educación física. Revista Española de Educación

Física y Deportes, n. 5, pp. 37-49, 2006.

BLAIKIE, F., SCHÖNAU, D., STEERS, J. Students' Gendered Experiences of High School Portfolio

Art Assessment in Canada, The Netherlands, and England. Studies in Art Education, v. 44, n. 4, pp.

-349, 2003

SCRATON, S. Educación Física de las niñas: un enfoque feminista. Madrid: Morata, 1995

SPENDER, D. Invisible Somen: the Schooling Scandal. London: Writers and Readers Publishing

Cooperative, 1982

ONOFRE, M. Prioridades da formação profissional dos professores de Educação Física. Atas do IX

Simposium de Poio, pp. 991-1004, 2014

FORMOSINHO, J e NIZA, S. Anexo de enquadramento à Recomendação sobre a Iniciação à

Prática Profissional: Cursos de Formação Inicial de Professores. Lisboa: Instituto Nacional de

Formação Profissional, 2002

Downloads

Publicado

2017-06-01

Como Citar

SILVA, E. R. da. Avaliação no ensino superior: a influência do sexo na avaliação na formação inicial de professores. Revista Internacional de Formação de Professores, Itapetininga, v. 2, n. 2, p. 14–33, 2017. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/rifp/article/view/1117. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.