A avaliação das aprendizagens com Bolonha

das intenções às práticas na formação inicial de professores

Autores

  • Carlos Alberto Ferreira Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Palavras-chave:

Processo de Bolonha; formação inicial de professores; avaliação das aprendizagens

Resumo

O processo de Bolonha veio exigir que na formação inicial de professores sejam utilizados métodos de ensino e de aprendizagem ativos para os estudantes, baseados na análise e na tomada de decisões em situações ou problemas da realidade profissional. Para isso, essa formação tem que proporcionar a aquisição de competências profissionais, pessoais e relacionais pelos futuros professores. Também a avaliação dessas diversas aprendizagens não pode ser só sumativa e baseada em testes escritos. É necessário diversificar os instrumentos de avaliação e, sobretudo, torná-la formativa e formadora dos estudantes. Só assim é possível verificar as complexas aprendizagens e as dificuldades que os estudantes vão evidenciando, regulando o processo de aprendizagem. Neste contexto, procurámos compreender as práticas de avaliação das aprendizagens de docentes que formam futuros professores do 1º ciclo do ensino básico da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Tendo-nos parecido adequada a utilização de uma investigação qualitativa de natureza exploratória e concretizada pela análise documental e por entrevista, através deste estudo pudemos verificar que essas práticas de avaliação das aprendizagens se caraterizam, ainda, pela predominância de procedimentos de avaliação sumativa, apesar de os docentes participantes no estudo procurarem, de forma não sistemática e estruturada, implementar alguns procedimentos da prática da avaliação formativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Alberto Ferreira, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Doutor em Educação, na especialização em Desenvolvimento Curricular, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, pesquisador do centro de investigação em educação da Universidade do Minho

Referências

ALLAL, L. Estratégias de avaliação formativa: concepções psicopedagógicas e modalidade de aplicação. In: ALLAL, L.; CARDINET, J.; PERRENOUD, P. A avaliação formativa num ensino diferenciado. Coimbra: Almedina, 1986. p. 175-209.

ALONSO, L. Questões críticas acerca da construção de um currículo formativo integrado. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E PRIMEIRO CICLO, 1, 2005. Anais... Aveiro: Universidade de Aveiro, 2005, p. 1-17.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1995.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora, 1994.

BROWN, S.; PICKFORD, R. Evaluación de habilidades y competências en Educación Superior. Madrid: Narcea Ediciones, 2013.

CORTESÃO, L. Formas de ensinar, formas de avaliar: breve análise de práticas correntes de avaliação. In: ABRANTES, P.; ARAÚJO, F. (Coord.). Reorganização curricular do ensino básico: avaliação das aprendizagens, das concepções às práticas. Lisboa: Ministério da Educação- Departamento da Educação Básica, 2002. p. 37-42.

DECLARAÇÃO de Bolonha. In: SERRALHEIRO, J. P. (Org.). O Processo de Bolonha e a formação dos educadores e professores portugueses. Porto: Profedições; Jornal A Página, 2005. p. 171-174.

FERNANDES, S. R.; FLORES, M. A.; LIMA, R. M. A aprendizagem baseada em projetos interdisciplinares: avaliação do impacto de uma experiência no ensino de engenharia. Avaliação: Revista de Avaliação da Educação Superior, Sorocaba, v. 15, n. 3, p. 59-86, 2010.

FERREIRA, C. A. A avaliação no quotidiano da sala de aula. Porto: Porto Editora, 2007.

FERREIRA, C. A. Uma abordagem à avaliação das aprendizagens na formação de professores no contexto de Bolonha. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, Sorocaba, v. 18, n. 3, p. 685-707, 2013.

FIGARI, G. Avaliar: que referencial? Porto: Porto Editora, 1996.

GHIGLIONE, R.; MATALON, B. O inquérito: teoria e prática. Oeiras: Celta, 1992.

LIMA, J. Á. Ética na investigação. In: LIMA, J. Á.; PACHECO, J. A. (Orgs.). Fazer investigação: contributos para a elaboração de dissertações e teses. Porto: Porto Editora, 2006. p. 127-159.

MARINHO, P.; LEITE; C.; FERNANDES, P. A avaliação da aprendizagem: um ciclo vicioso de “Testinite”. Estudos de Avaliação Educacional, São Paulo, v. 24, n. 55, p. 304-334, 2013.

MORGADO, J. C. O processo de Bolonha e ensino superior num mundo globalizado. Educação & Sociedade, v. 30, n. 106, p. 37-62, 2009.

PACHECO, J. A. Discursos e lugares das competências em contextos de educação e formação. Porto: Porto Editora, 2011.

PASTOR, V. M. L. Evaluación formativa y compartida en educación superior: propuestas, técnicas, instrumentos y experiencias. 2ª ed. Madrid: Narcea Ediciones, 2010.

PERRENOUD, P. Não mexam na minha avaliação! Para uma abordagem sistémica da mudança pedagógica. In: ESTRELA, A.; NÓVOA, A. (Org.). Avaliações em educação: novas perspectivas. Porto: Porto Editora, 1993. p. 171-191.

PERRENOUD, P. Porquê construir competências a partir da escola? Desenvolvimento da autonomia e luta contra as desigualdades. Porto: Edições Asa, 2001.

PONTE, J. P. O processo de Bolonha e a formação inicial de professores em Portugal. In: SERRALHEIRO, J. P. (Org.). O processo de Bolonha e a formação dos educadores e professores portugueses. Porto: Proedições; Jornal A Página, 2005. p. 63-73.

ROLDÃO, M. do C. Educação básica e currículo: perspectivas para a sociedade do 3º Milénio. In: DUARTE, J. B. (Org.). Igualdade e diferença numa escola para todos. Lisboa: Edições Universitárias Lusófonas, 2002. p. 45-64.

SANTAMARIA, J. S. Evaluación de los aprendizajes universitários: una comparación sobre sus possibilidades y limitaciones en el Espacio Europeo de Educación Superior. Revista de Formación y Inovación Educativa Universitaria, Vigo, v. 4, n. 1, p. 40-54, 2011.

SIMÃO, A. M. V. Reforçar o valor regulador, formativo e formador da avaliação das aprendizagens. Revista de Estudos Curriculares, Gualtar, v. 3, n. 2, p. 265-289, 2005.

SIMÃO, J. V.; SANTOS, S. M.; COSTA, A. de A. Ambição para a excelência: a oportunidade de Bolonha. Lisboa: Gradiva, 2005.

SOUSA, A. B. Investigação em educação. Lisboa: Livros Horizonte, 2005.

VALVERDE, J.; REVUELTA, F. I.; FERNANDÉZ, M. R. Modelos de evaluación por competencias a través de un sistema de gestión de aprendizaje. experiencias en la formación inicial del profesorado. Revista Iberoamericana de Educación, 60, p. 51-62, 2012.

ZABALZA, M. Planificação e desenvolvimento curricular na escola. Porto: Edições Asa, 1992.

Downloads

Publicado

2017-03-01

Como Citar

FERREIRA, C. A. A avaliação das aprendizagens com Bolonha: das intenções às práticas na formação inicial de professores. Revista Internacional de Formação de Professores, Itapetininga, v. 2, n. 1, p. 7–26, 2017. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/rifp/article/view/1281. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.