Desvelando Frankensteins

interpretações dos currículos de Licenciatura em Educação Física

Autores

  • Marcos Garcia Neira Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Currículo – Estudos Culturais – Formação de Professores.

Resumo

Diante da constatação de representações distorcidas sobre a docência na Educação Física em um grupo de professores recém-formados, procuramos investigar os currículos que acessaram a fim de averiguar a existência de relações entre a experiência formativa e as identidades docentes. Recorrendo à bricolagem de métodos de pesquisa e aos Estudos Culturais, enquanto referencial teórico, as interpretações realizadas sinalizam que os cursos de Licenciatura são os principais responsáveis pela polifonia e confusão conceitual inicialmente constatadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Garcia Neira, Universidade de São Paulo

Licenciado em Educação Física e Pedagogia com Mestrado e Doutorado em Educação, Pós-doutorado em Currículo e Educação Física e Livre-Docência em Metodologia do Ensino de Educação Física. É Professor Titular da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, atua nos cursos de graduação e pós-graduação, orienta pesquisas em nível de iniciação científica, mestrado e doutorado, e supervisona pesquisas de pós-doutorado. Investiga a prática pedagógica da Educação Física com apoio da FAPESP e do CNPq, é coordenador do Grupo de Pesquisas em Educação Física escolar.
(www.gpef.fe.usp.br).

Referências

APPLE, M. W. Educando à direita: mercados, padrões, Deus e desigualdade. São Paulo: Cortez/IPF, 2003.

BERNSTEIN, B. A estruturação do discurso pedagógico. Classes, Códigos e Controle. Petrópolis: Vozes, 1998.

GARCIA, R. L. e MOREIRA, A. F. B. Começando uma conversa sobre currículo. In: Currículo na contemporaneidade: incertezas e desafios. São Paulo: Cortez, 2008. p.7- 39.

BRACHT, V. Identidade e crise da Educação física: um enfoque epistemológico. In: BRACHT, V. e CRISÓRIO, R. (coords.). A Educação Física no Brasil e na Argentina: identidade, desafios e perspectivas. Campinas: Autores Associados; Rio de Janeiro: PROSUL, 2003

FORMOSINHO, J. O currículo uniforme pronto-a-vestir de tamanho único. Mangualde, Portugal: Edições Pedago, 2007.

GARCIA, M. M. A., HYPOLITO, Á. M. e VIEIRA, J. S. As identidades docentes como fabricação da docência. Educação e Pesquisa, Jan./Mar. 2005, vol.31, no.1, p.45-56.

GARCIA, R. L. e MOREIRA, A. F. B. Começando uma conversa sobre currículo. In: Currículo na contemporaneidade: incertezas e desafios. São Paulo: Cortez, 2008. p.7- 39.

HALL, S. Da diáspora: identidade e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG; Brasília: Representação da UNESCO no Brasil, 2003.

KINCHELOE, J. L. e STEINBERG, S. R. Repensar el multiculturalismo. Barcelona: Octaedro, 1999.

___________. Pesquisa em Educação: conceituando a bricolagem. Porto Alegre: Artmed, 2007.

MOREIRA, A. F. B. e CANDAU, V. M. Indagações sobre currículo: currículo, conhecimento e cultura. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007.

NEIRA, M. G. O currículo multicultural da Educação Física: uma alternativa ao neoliberalismo. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, v. 5, nº 2, 2006. p. 75-83.

NELSON, C; TREICHLER, P. A. e GROSSBERG, L. Estudos Culturais: uma introdução. In: SILVA, T. T. (Org.) Os alienígenas na sala de aula: uma introdução aos Estudos Culturais em educação. Petrópolis: Vozes, 1995.

PACHECO, J. A. Escritos curriculares. São Paulo: Cortez, 2005.

PARO, V. H. Educação como exercício do poder: crítica ao senso comum em educação. São Paulo: Cortez, 2008.

POPKEWITZ, T. S. Uma perspectiva comparativa das parcerias, do contrato social e dos sistemas racionais emergentes. In: TARDIF, M. e LESSARD, C. O ofício do professor. Petrópolis: Vozes, 2008, p. 244-245.

SILVA, T. T. Identidades terminais: as transformações na política da pedagogia e na pedagogia da política. São Paulo: Vozes, 1996.

___________. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

TARDIF, M. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis: Vozes, 2005.

TORRES SANTOMÉ, J. Globalização e interdisciplinaridade: o currículo integrado. Porto Alegre: Artmed, 1998.

WOODWARD, K. Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.

Downloads

Publicado

2017-06-01

Como Citar

NEIRA, M. G. Desvelando Frankensteins: interpretações dos currículos de Licenciatura em Educação Física. Revista Internacional de Formação de Professores, Itapetininga, v. 2, n. 2, p. 189–211, 2017. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/rifp/article/view/1131. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

ARQUEOLOGIA DO SABER

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.