Autonomia da escola e gestão curricular do ensino básico

desafios de um projeto de inovação

Autores

  • Joaquim Machado Universidade Católica Portuguesa

Palavras-chave:

Flexibilidade curricular. Área curricular interdisciplinar. Autonomia. Inovação.

Resumo

Nas últimas quatro décadas, tem sido introduzidas no sistema educativo português, tradicionalmente centralizado, diversas medidas com vista à diversificação curricular e à diferenciação pedagógica que pressupõem o reconhecimento de margens de autonomia escolar. Este artigo descreve o projeto de autonomia e flexibilidade curricular iniciado num conjunto de escolas no ano letivo de 2017-2018, assinala-lhe continuidades e ruturas com medidas anteriores e realça os principais desafios com que se depara esta ação de política pública dirigida ao núcleo da cultura escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joaquim Machado, Universidade Católica Portuguesa

Professor Auxiliar Convidado. Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica Portuguesa, Porto - Portugal. 

Referências

ALVES, J. M.; CABRAL, I. (org.). Uma Outra Escola é Possível. Mudar as regras da gramática e os modos de trabalho pedagógico. Porto: Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica Portuguesa, 2017.

BARROSO, J. Políticas Educativas e Organização Escolar. Lisboa: Universidade Aberta, 2004.

BOLÍVAR, A. Melhorar os Processos e os Resultados Educativos: O que nos ensina a investigação. V. N. Gaia: Fundação Manuel Leão, 2012.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Parecer nº 3/2000 – Parecer sobre a Proposta de reorganização curricular do ensino básico, Diário da República, II Série, nº 180, 5 de agosto de 2000, pp. 13016-13024.

CUBAN, L. A fundamental puzzle of school reform. In: LIEBERMAN, A. (ed.). Schools as Collaborative Cultures: Creating the Future Now. New York: Falmer Press, 1990, p. 71-77.

CUBAN, L. How Teachers Taugtht. Constancy and change in American Classrooms, 1890-1990. New York: Teachers College Press, 1993.

EURYDICE. Autonomia das Escolas: Políticas e medidas. Lisboa: Unidade Portuguesa da Rede Eurydice, 2007.

EURYDICE. Responsabilités et Autonomie des Enseignants en Europe. Bruxelles: DG Éducation et Culture, 2008.

FERNANDES, A. S. Descentralização, desconcentração e autonomia dos sistemas educativos: uma panorâmica europeia. In FORMOSINHO, J., FERNANDES, A. S., MACHADO, J., FERREIRA, F. I. Administração da Educação. Lógicas burocráticas e lógicas de mediação. Porto: Edições ASA, 2005, p. 53-89.

FORMOSINHO, J. O dilema organizacional da escola de massas. Revista Portuguesa de Educação, 1992, 5 (3), p. 23-48.

FORMOSINHO, J. (coord.). Modelos de Organização Pedagógica da Escola Básica. Porto: ISET, 1994.

FORMOSINHO, J. O Currículo Pronto-a-vestir de Tamanho Único. Mangualde: Edições Pedago, 2007.

FORMOSINHO, J.; MACHADO, J. Políticas de autonomia e avaliação: Portugal no concerto da União Europeia. In: FORMOSINHO, J., FERNANDES, A. S., MACHADO, J., FERREIRA, H. Autonomia da Escola Pública em Portugal. V. N. Gaia: Fundação Manuel Leão, 2010, p.71-89.

GRÁCIO, R. A via única no ensino secundário (1): Unificar o quê, para quê? O Jornal, 12-9-1975, p. 11.

GRÁCIO, R. A via única no ensino secundário (conclusão): Alteração formal ou substancial? O Jornal, 19-9-1975, p. 10-11.

GRÁCIO, R. A educação, dez anos depois: Que transformações, que rupturas, que continuidades? Revista Crítica de Ciências Sociais, nº 18/19/20, fevereiro de 1986, p. 153-182.

MACHADO, J. (2017). Organização e currículo: Em busca de um modelo alternativo. In: PALMEIRÃO, C., ALVES, J. M. (coord.). Construir a Autonomia e a Flexibilização Curricular: Os desafios da escola e dos professores. Porto: Universidade Católica Editora, 2017, p. 25-37.

MACHADO, J.; ALVES, J. M. (org.). Equidade e Justiça em Educação. Desafios da escola bem-sucedida com todos. Porto: Universidade Católica Editora, 2017.

MACHADO, J.; FORMOSINHO, J. Equipas educativas e comunidades de aprendizagem. Revista Portuguesa de Investigação Educacional, vol. 16, 2016, p. 11-31.

MARTINS, G. O. (coord.). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Lisboa: Ministério da Educação/Direção Geral da Educação, 2017.

PERRENOUD, Ph. Pedagogia Diferenciada. Das intenções à ação. Porto Alegre: Artmed Editora, 1999.

ROLDÃO, M. C. O currículo escolar: da uniformidade à contextualização, campos e níveis de decisão curricular. Revista de Educação, IX, nº 1, 2000, p. 81-92.

ROLDÃO, M. C. Currículo e aprendizagem efectiva e significativa: Eixos de investigação curricular nos nossos dias. In: PALMEIRÃO, C., ALVES, J. M. (coord.). Construir a Autonomia e a Flexibilização Curricular: Os desafios da escola e dos professores. Porto: Universidade Católica Editora, 2017, p. 15-24.

VIÑAO, A. Sistemas Educativos, Culturas Escolares y Reformas. Continuidades y cambios, 2ª ed. Madrid: Ediciones Morata, 2006.

Downloads

Publicado

2019-09-05

Como Citar

MACHADO, J. Autonomia da escola e gestão curricular do ensino básico: desafios de um projeto de inovação. Revista Internacional de Formação de Professores, Itapetininga, v. 4, n. 3, p. 54–69, 2019. Disponível em: https://periodicoscientificos.itp.ifsp.edu.br/index.php/rifp/article/view/130. Acesso em: 23 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos